ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 26 de julho de 2011

NOVOS TEMPOS, VELHOS COSTUMES

WANDERLEY SOARES, REDE PAMPA, O SUL. Porto Alegre, Terça-feira, 26/07/2011

Os contêineres de lixo estão tão inseguros como os cidadãos que circulam pelas ruas.

Os ataques contra os contêineres de lixo que estão ocorrendo em Porto Alegre, sejam uma reação espontânea ou orquestrada politicamente, sejam atos de vandalismo comuns, como os que ocorrem contra orelhões e prédios públicos e particulares, são fatos que, como da minha torre me manifestei anteriormente, apontam para a falta de segurança que atinge a todos os cidadãos das principais cidades do Estado, em especial em Porto Alegre e na Região Metropolitana.

Os grupos que incendeiam os contêineres têm os mesmos espaços que desfrutam bandidos ao atacarem pedestres, carros e até residências. O policiamento ostensivo durante a noite é rarefeito e a ação da Guarda Municipal, dia e noite, é quase invisível.

Esse quadro ainda é bordado por uma fiscalização no trânsito pífia, pelo permanente e crescente domínio dos flanelinhas e pela informação de que o comandante-geral da Brigada Militar, coronel, professor e intelectual Sergio Roberto de Abreu terá, uma vez por mês (sempre nas terceiras terças-feiras) uma tertúlia com a oficialidade miliciana onde não poderá constar na pauta matéria relativa a atividades profissionais. Novos tempos, velhos costumes.

Caxias

Também em Caxias do Sul mais um contêiner de coleta de lixo foi alvo de vandalismo. O equipamento foi queimado, durante a madrugada de ontem, na rua Bento Gonçalves, próximo ao Estádio Centenário. Desde o início do sistema em 2007, foram destruídos ou danificados 309 coletores naquela cidade da Serra.

Susepe

O suspense referente ao pagamento complementar dos servidores da Susepe, recentemente promovidos, está desfeito. Quando da decisão sobre tal dádiva, a folha de pagamento de julho já estava pronta. A diferença salarial será paga, honestamente, em agosto próximo, com efeito retroativo, segundo a Secretaria da Segurança Pública.

Execução

Um homem foi encontrado morto, no início da manhã de ontem, na rua Sete de Setembro, próximo ao bairro Santa Terezinha, em Passo Fundo. A vítima, que aparenta ter cerca de 30 anos, foi atingida por, pelo menos, cinco tiros.

Banco

Dois homens armados assaltaram, ontem, durante a madrugada, a agência do Banco do Brasil de Esmeralda, na Serra Gaúcha. Eles entraram no prédio por uma janela basculante e renderam o vigia.

Tráfico

Número de presos por tráfico de drogas no Brasil dobrou entre 2006 e 2010, chegando a 86,6 mil. No mesmo período, a população carcerária cresceu 37%, se aproximando de 500 mil. Em agosto de 2006 foi criada a Lei Antidrogas para acabar com pena de prisão para usuários de maconha, antes disso eram menos de 40 mil presos por tráfico nas cadeias brasileiras. Para os especialistas, o aumento tem duas razões: a pena mínima por tráfico subiu de três para cinco anos, e usuários vem sendo punidos como traficantes.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Tenho profunda admiração pelo colunista, mas não posso concordar com a opinião de que o Cel Sergio não está preocupado com a ausência de policiais nas ruas. É um comandante preparado e com conhecimento suficiente para adotar medidas para a restauração dos efetivos nas ruas, pois tem no comando do policiamento de Porto Alegre um oficial operacional e experiente. Está faltando apenas a aplicação da prometida institucionalização do policiamento comunitário que, na prática, fixação e aproxima do cidadão e das lideranças de bairro os policiais ostensivos em postos comunitários e pontos estratégicos nos bairros centrais e periféricos.

A minha crítica é a existência da Secretaria de Segurança que na minha opinião deveria ser extinta, passando o CIOSP para a Brigada Militar e a ligação das Chefias diretamente com o Governador do Estado, como manda a constituição estadual. Esta medida amentaria o potencial e a responsabilidade das polícias e do Governador do Estado na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

A Secretaria de Segurança é um órgão político partidário que cria facções políticas, conflito corporativo, discórdias internas, concorrência por cargos e promoções, mérito partidário, disputa por cargos comissionados e promoções privilegiadas, que minam o clima organizacional.