ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

APLICANDO TROTE NA POLÍCIA PARA ASSALTAR

SP: Quadrilha aplica trote na polícia para assaltar comércios - O GLOBO, 06/07/2011 às 09h26m; VNews

SÃO PAULO - Três comércios em Joanópolis, 100 km de São Paulo, foram roubados em sequência no último fim de semana, e a ação dos assaltantes foi ainda mais ousada do que se pode imaginar. Para ter o caminho livre, eles aplicaram um trote na polícia. A informação é da VNews.

Foi por um acesso que o criminoso chegou de moto à cidade, e logo na entrada fez a primeira vítima. Roubou R$ 2 mil de um supermercado. Depois, o bandido seguiu até outro estabelecimento, no centro de Joanópolis. As câmeras de segurança registraram a ação, e enquanto a gerente fazia alguns pagamentos, o homem armado anuncia o roubo. A funcionária abre o cofre e entrega o dinheiro para o bandido, que foge com R$ 8.7 mil. Nervosa, ela liga para a polícia.

O proprietário, com medo, prefere não se identificar, mas afirma que o pedido de socorro não foi atendido pela Polícia Militar.

- Imediatamente já ligamos no 190 e ninguém atendeu. Nem pelo destacamento que ligamos, ninguém atendeu - diz.

Antes de ir embora da cidade, o assaltante foi até outra loja e fez o terceiro assalto, levando R$ 8.600,00.

- A mesma maneira que ele agiu no primeiro assalto, ele agiu no segundo e no terceiro. Juntando esse tempo não dá mais que sete minutos - explica o comerciante.

Em Joanópolis, quando alguém disca 190 o telefone toca tanto na base da PM quanto na viatura. Segundo a Polícia Militar, apenas dois policiais trabalhavam no dia dos roubos. Minutos antes dos assaltos, alguém ligou e disse que teria acontecido um acidente em uma área distante da cidade. Os dois policiais saíram para atender a ocorrência, mas era um trote. Não havia acidente e por lá, o telefone de emergência da viatura não tinha sinal.

A Polícia Civil acredita que alguém da cidade tenha passado informações privilegiadas ao bandido, como explica o delegado Joel de Luna Bozolo.

- Ele sabia, porque alguém informou a ele que nesses locais havia dinheiro. Porque não é crível que uma pessoa de fora vá direto nas pessoas que teriam uma movimentação de dinheiro boa, grande, em um final de semana que não tem agência bancária aberta - afirma o Bozolo.

O delegado disse ainda que vai solicitar rastreamento telefônico para verificar se a pessoa que passou o trote para a polícia é a mesma que fez os roubos, ou se está envolvida nos crimes.