ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

ALEMÃO - CMT DO BTL DE CAMPANHA LEVA UM TIRO EM TENTATIVA DE ASSALTO


Policial ferido. Comandante do Batalhão de Campanha do Alemão sofre tentativa de assalto - O GLOBO, 21/07/2011 às 01h43m - Duilo Victor

RIO - O comandante do Batalhão de Campanha do Complexo do Alemão, tenente-coronel Carlos Eduardo Ribeiro e Souza, sofreu uma tentativa de assalto na noite de quarta-feira, na Rua Silva Vale, próximo ao viaduto de Cascadura. Segundo o tenente-coronel Mário José, subcomandante do batalhão, um outro PM que estava com o oficial levou um tiro em uma das mãos e outro de raspão na cabeça.

De acordo com o subcomandante, o tenente-coronel Carlos Eduardo seguia para casa num carro descaracterizado, quando foi abordado por quatro homens armados. Houve troca de tiros. O veículo em que os policiais estavam foi atingido por pelos menos 12 tiros. O militar ferido, que dirigia o carro, está internado no Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio, onde passará por cirurgia. O caso foi registrado na 30ª DP (Marechal Hermes).

O batalhão de campanha da PM foi implantado por orientação do Exército, que comanda as forças de pacificação do Complexo do Alemão. A favela foi ocupada em 28 de novembro do ano passado, numa das maiores operações de pacificação de favelas no Rio.