ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

A ARTE DE ENXUGAR GELO


Não posso comemorar a queda do ministro dos Transportes. BEATRIZ FAGUNDES, REDE PAMPA, O SUL, Porto Alegre, Quinta-feira, 07 de Julho de 2011.

São duas notícias: a queda do ministro e a Operação Cartola! Eu sei. Porém, confesso: nenhuma das duas me motiva.

Não posso comemorar a queda do ministro dos Transportes. Relembro uma frase do Millôr: "A hiena só come merda, trepa uma vez por ano, e ri de quê?". Não sou hiena! O ministro Carlos Nascimento faz parte, a partir de agora, de uma espécie de procissão. Ele saiu do ministério e entrou em uma lista, aparentemente sem começo ou sequer possibilidade de fim, na qual biografias vão sendo lançadas na esbórnia na medida em que seus titulares são flagrados cometendo atos ou indícios de corrupção, seja ativa ou passiva.

Ontem, a Polícia Civil do RS realizou uma megaoperação intitulada "Cartola", na qual, ao que tudo indica, prefeitos e assessores de várias cidades estariam cometendo crimes do "colarinho branco!" São duas notícias: a queda do ministro e a Operação Cartola! Eu sei. Porém, confesso: nenhuma das duas me motiva. Estou anestesiada. Sabe por quê? Óbvio. Não vai dar nada! Nascimento, e sua trupe, que, aparentemente teriam enriquecido de forma extraordinária nos últimos quatro anos, agora vão para casa de alma lavada e enxaguada sem nenhum sentimento de culpa. Possivelmente, no Congresso, alguém faça a dança do ventre, exigindo sua presença, para dar explicações, e passadas quatro semanas, ou menos, retomará sua vidinha sem qualquer desconforto.

Por aqui, na tal Operação Cartola, mais de 500 policiais foram mobilizados para buscar supostas provas e evidências em computadores, notas fiscais e agendas para, me perdoem, não prender ninguém! O Judiciário negou 16 pedidos de prisão de suspeitos.

Não sou hiena, portanto, me nego a comemorar a queda do ministro, ou a operação deflagrada ontem, aqui na Região Metropolitana. Serei uma delinquente? Não! Apenas me recuso a fazer papel de idiota.

Comemorar o que? Acaso os acusados serão banidos de nosso meio e lhes será infringido alguma penalização de ordem legal, ou mesmo ética, que possa servir de exemplo para futuros corruptos? Não!

Os culpados não sofrerão sequer uma reprimenda pública, pelo contrário, dentro de alguns meses, provavelmente, estarão contratados como consultores ou palestrantes sobre a arte da negociação.

"Quem poupa o lobo condena as ovelhas", afirmou São Thomás de Aquino. O padre Antônio Vieira, em um de seus sermões, bradava contra colonizadores e governantes que, escandalosamente, roubavam o Brasil. Antônio Carlos Magalhães afirmou: "O DNER sempre esteve metido em falcatruas. Sua extinção seria muito boa para o País". Estamos diante da política do faz de conta.

Nossas polícias se especializam na arte de "secar gelo", com operações de grande monta, as quais os operadores reconhecem que não terão nenhuma resolução. Sem punição não há solução.

O ministro Nascimento é apenas mais um na procissão dos infiéis. Outros já estão na fila desejando sua vaga, sequiosos em usufruir das mesmas "facilidades" do agora acusado, amanhã feliz "esquecido".

A situação lembra a frase do promotor João Barcelos: "Ter pena dos maus é não ter humanidade com os bons", a qual completo: "Com o tempo, uma sociedade de carneiros acabará gerando um governo de lobos". Afinal, segundo Honoré de Balzac, "O poder emana do dinheiro e em seu nome será exercido". Ou: "Dinheiro compra tudo. Até amor verdadeiro", Nelson Rodrigues.

Resumindo: para que mesmo vale sabermos o nome, CPF, RG e endereço dos corruptos se nenhum deles vai para a cadeia ou mesmo devolve o dinheiro roubado? A conferir!