ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

FARDAS COMPLETAS DO BOPE PARA AS MÃOS DO TRÁFICO


Fardas do Bope são apreendidas dentro de Kombi em Manguinhos. Motorista disse que material era transportado da Vila Cruzeiro para a Favela do Mandela - POR MARCELLO VICTOR, O DIA ONLINE, 21/07/2011

Rio - Fardas completas do Batalhão de Operações Especiais (Bope), além de coturnos, boinas, coldres e toucas ninja foram apreendidoss em uma Kombi, na Rua Uranos, na Penha, Zona Norte, na noite desta quarta-feira.

O motorista do veículo, Romário Sangy Luiz, de 19 anos, contou a policiais do 22º BPM (Maré) que transportava o material da Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, comunidade pacificado em novembro, para a Favela do Mandela, em Manguinhos.

Segundo o cabo Fágner, do 22º BPM, os PMs realizavam uma blitz na Rua Uranos, por volta das 22h, na altura da Rua Professor Lacê, próximo a estação de Ramos. Ao suspeitar e tentar abordar a Kombi branca placa LJY-6593, Romário furou o bloqueio. Houve perseguição por cerca de cinco quilômetros.

O veículo foi interceptado na Rua Leopoldo Bulhões após os policiais atirarem nos pneus e no motor do veículo. O motorista, que estava sozinho e desarmado, perdeu o controle, chegou a bater em uma das viaturas da PM e num canteiro. Ninguém ficou ferido.

Dentro da Kombi, armazenados em sacos pretos, foram encontradas 25 fardas completas (calça e camisa), novas e usadas, do Bope, além de acessórios: 19 pares de cuturnos, 12 coldres, 33 boinas, 12 cintos de guarnição, oito toucas ninja e um colete balístico.

Ainda de acordo com os PMs, Romário disse que trabalha com a Kombi fazendo transporte alternativo de passageiros na região do Complexo da Penha. O veículo está registrado em nome da tia dele, segundo a PM. Ele contou também que foi forçado por traficantes a fazer o transporte do material da Vila Cruzeiro, onde mora, para a Favela do Mandela.

"Foi uma surpresa grande para nós (policiais). Achávamos que encontraríamos uma grande quantidade de drogas nos sacos e nos deparamos com fardas do Bope", surpreendeu-se o cabo Fágner.

As fardas apreendidas tinham identificação de nomes de guerra, que seriam fictícios. Elas serão encaminhadas para a perícia. A polícia ainda não sabe se o fardamento é original ou se foi confecionado ilegalmente, ou ainda, desviado do batalhão de elite da PM.

Há também suspeitas que serão investigadas pela polícia de que as fardas seriam utilizadas pela facção que controla o tráfico de drogas na Favela do Mandela para invadir uma comunidade dominada por outra quadrilha.

Romário foi autuado por porte ilegal de arma - devido a apreensão do colete balístico - e associação para o tráfico de drogas. Ele tem uma passagem pela polícia por receptação de veículo, quando ainda era menor de idade.

A ocorrência foi registrada na 37ª DP (Ilha do Governador), central de flagrantes das região.