ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

PIOR SALÁRIO - PROPOSTA SALARIAL DO GOVERNO PRÓXIMA AO REIVINDICADO

SEGUNDO GOVERNO PROPOSTA SALARIAL ESTÁ PRONTA E SE APROXIMA DO REIVINDICADO PELOS SERVIDORES DE NÍVEL MÉDIO DA BRIGADA MILITAR - Direção ASSTBM, PORTAL ASSTBM, 01 setembro 2011.

Na reunião desta quinta-feira, 1, que durou menos de 30 minutos o governo, representado pelos secretários Chefe da Casa Civil Carlos Pestana, Secretário de Segurança Pública, Airton Michels, a Secretária de Administração Stela Farias, o coordenador do Assessoramento Superior do governador Tarso Genro, Secretário Flávio Koutzii, além da Secretária-adjunta da Casa Civil, Mari Peruzzo, o Secretário Adjunto de Assessoria Superior, João Victor Domingues e o Cmt Geral da Brigada Militar Coronel Sérgio Abreu, disseram que a proposta salarial do Governo está pronta e contempla os anseios da categoria, se não no todo, em boa parte.

Todavia, a proposta não foi apresentada face às queimas de pneus e paralisias de rodovias que vêm ocorrendo.

A ASSTBM entende que o processo de negociação está instalado e às partes tem reiterado a disposição pelo diálogo, assim, solicita a todos os seus associados e servidores que representa, para que não pratiquem atos desta natureza, pois caso contrário, o Governo colocará na nossa conta a não concessão de aumento salarial e a conquista da dignidade que buscamos.

Não podemos esquecer que o nosso objetivo não é a oposição política, mas sim a construção de uma política salarial duradoura que resgate a dignidade dos servidores de nível médio da Brigada Militar, sendo assim, havendo espaço para negociação, devemos ir à exaustão neste processo, sem a prática de ações que configurem atos ilegais.

Ficou marcada uma nova reunião para o dia 09 de setembro, onde, tendo ocorrido o fim das manifestações com queimas de pneus, a proposta será apresentada para avaliação por parte da categoria.