ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O PIOR SALÁRIO - CABOS E SOLDADOS PRESSIONAL E ASSOCIAÇÃO DEVE ACEITAR REAJUSTE


Cabos e soldados do interior pressionam e associação deve aceitar reajuste do governo. Dos 12 núcleos da entidade, oito decidiram aceitar os 23,5% - Jocimar Farina - ZERO HORA ONLINE, 22/09/2011

No que depender da avaliação de Cabos e Soldados do interior do Estado, a categoria deverá aceitar a proposta de reajuste salarial oferecida pelo governo. Dos 12 núcleos da entidade, oito decidiram aceitar os 23,5%. Entre os quatro núcleos que rejeitaram, está o da Capital. A reportagem da Rádio Gaúcha teve acesso ao documento que reúne as decisões das assembleias regionais da Associação de Cabos e Soldados da Brigada Militar (Abamf).

O presidente da entidade, Leonel Lucas, não confirma a informação e diz que só irá se manifestar após a reunião com o governo. Nesta quinta-feira a Associação de Sargentos, Subtenentes e Tenentes da Brigada Militar rejeitou, por unanimidade, a proposta de reajuste do Piratini, que varia de 11% a 18%.

Segundo o presidente da entidade, Aparício Santelano, a categoria defende o reajuste linear e decidiu por pedir 25% para todos os servidores do nível médio. O presidente da Abamf, Leonel Lucas, chegou a participar desta reunião e discursou dizendo que buscaria pela não divisão das categorias.

Para tratar das questões, o governo marcou reuniões em separado, contrariando o pedido dos presidentes das associações. Às 14h desta quinta-feira ocorre a reunião com a Associação de Cabos e Soldados. Já a Associação de Sargentos Subtenentes e Tenentes será recebida às 9h30min de sexta-feira.

Ao saber das reuniões em separado Aparício Santelano se mostrou surpreso, mas destacou que categoria não mudará posição, mesmo que os soldados aprovarem o reajuste.

Nesta manhã, PMs ligados à Brigada Militar, Bombeiros e ao Comando Rodoviário protestaram em Erechim. O manifesto foi pela igualdade de percentuais no reajuste oferecido pelo Estado à categoria.

Ontem, grupo de pessoas ligadas a entidades independentes também protestou por melhores salários para policiais militares colocando faixas em frente ao Palácio Piratini, no centro da Capital.

Proposta do governo:

Depois de rejeição ao abono de R$ 300, o governo ofereceu reajuste de até 23% para cabos e soldados e índice que varia de 11% a 18,5% para sargentos, subtenentes e tenentes.

A proposta não foi suficiente para acabar com os protestos, já que a categoria se manifestou pelo reajuste linear, ou seja, o mesmo para todas as patentes. As entidades entendem que o adequado seria índice de 25% para todos.