ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sábado, 17 de setembro de 2011

TERRORISMO - BONECO COM FALSO EXPLOSIVO EM NOVO HAMBURGO

Boneco com falso explosivo é deixado em NH. BM concluiu que artefato não era uma bomba - Dico Reis e Samuel Vettori / Rádio Guaíba, CORREIO DO POVO, 17/09/2011 08:26

Um novo protesto atribuído a policiais militares foi registrado em Novo Hamburgo, no Vale do Sinos, na madrugada deste sábado. Um boneco fardado com um suposto explosivo foi deixado na avenida 1º de Março, em frente à agência do Banrisul. O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) chegou a ser acionado, mas os policiais do da Brigada Militar (BM) da cidade acabaram constatando, antes da chegada da equipe especializada, que o objeto era apenas uma imitação de bomba.

Na quinta-feira, em Porto Alegre, no viaduto Otávio Rocha, e em Santa Vitória do Palmar, no Sul do Estado, ocorreram dois outros protestos com suposto explosivo.

As entidades representativas da BM vêm negociando com o governo um reajuste salarial ao longo do ano. Em agosto, começaram a ser registrados diversos protestos com queima de pneus atribuídos aos PMs. A maioria dessas manifestações ocorreu em estradas, que foram interrompidas por barreiras de fogo.

Na quinta-feira, o governo do Estado propôs que o abono de R$ 300 que havia sido oferecido aos policiais militares seja substituído por um reajuste sobre o salário-base, pago em duas vezes – em outubro de 2011 e em abril de 2012. O acréscimo é equivalente a 23,5% do salário dos soldados e a 10,5% dos tenentes. Além disso, o número de promoções aumentou de 1,2 mil para 2,8 mil, em quatro anos.