ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

O PIOR SALÁRIO - ABONO DE R$ 300


Governo propõe abono de R$ 300 a servidores da Brigada Militar. Não há, no entanto, data prevista para que este abono seja incorporado ao contracheque - 12/09/2011, 17h49min

Em reunião na tarde desta segunda-feira com representantes das categorias da Brigada Militar, o chefe da Casa Civil, Carlos Pestana, apresentou uma proposta de reajuste aos servidores da Brigada Militar. Foi sugerido aos soldados, sargentos e tenentes um abono linear de R$ 300, pago em duas parcelas: R$ 140 em outubro e R$ 160 a partir de abril.

Para a categoria dos soldados, a proposta contempla o reajuste salarial de 25% que era exigido. Não há, no entanto, data prevista para que este abono seja incorporado ao contracheque das categorias. O cronograma de pagamento e outros assuntos ainda pendentes deve ser discutidos em uma nova reunião, na próxima quinta-feira.

De acordo com Leonel Lucas, presidente da Associação Beneficente Antonio Mendes Filho (ABAMF), que representa os cabos e soldados, a proposta foi bem recebida. No entanto, ainda falta contemplar as exigências em relação às promoções para soldados e ao calendário de pagamentos de 2014.

— A categoria não está plenamente satisfeita, mas é um começo. Ainda vamos nos decidir se aceitamos ou não a proposta — disse Lucas.

O presidente da Associação dos Sargentos Subtenentes e Tenentes da Brigada Militar (ASSTBM), Olívio Moura, afirmou que o governo se comprometeu a incorporar o abono aos salários até o final do mandato.

— Recebemos a garantia que, até o final deste governo, esta vantagem será incorporada aos vencimentos.

A reivindicação por melhores salários levou PMs a realizarem uma série de protestos desde o início de agosto no Rio Grande do Sul.