ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sábado, 24 de setembro de 2011

REAÇÃO, MORTE E DESAPARECIMENTO

Policial militar de folga reage a assalto e mata suspeito em Viamão - Assalto aconteceu em uma padaria - ZERO HORA ONLINE, 23/09/2011 | 21h49min

Um policial militar que estava de folga reagiu a um assalto e matou um suspeito em Viamão, na Região Metropolitana. Três homens armados teriam invadido uma padaria localizada no Beco dos Cunha e anunciado o assalto, na tarde desta sexta-feira.

De acordo com a Brigada Militar, o policial, que estava dentro do estabelecimento, trocou tiros com os suspeitos, matando um deles.

A vítima foi identificada como Valdemir Fortunato de Lima, 30 anos. Os outros dois homens conseguiram fugir. A proprietária do estabelecimento foi atingida na perna durante o tiroteio, mas passa bem. Nada foi roubado da padaria.


Policial militar é encontrado morto em apartamento onde morava em Porto Alegre. BM ainda não sabe informar se houve suicídio ou assassinato - RÁDIO GAÚCHA, ZERO HORA ONLINE, 24/09/2011 | 05h55min

Um policial da Brigada Militar foi encontrado morto na madrugada deste sábado dentro do apartamento onde morava, no bairro Rubem Berta, em Porto Alegre.

O PM sofreu um tiro na cabeça. Ele dividia o apartamento com outro colega do 20º Batalhão da Polícia Militar. A perícia ainda está no local.

A Brigada Militar não sabe informar se houve suicídio ou assassinato. O nome da vítima está sendo mantido em sigilo.


Em busca de pistas, polícia vai rastrear celular de PM desaparecida em Passo Fundo. Últimos sinais emitidos por aparelho poderão indicar paradeiro da soldado. Leandro Becker e Fernanda da Costa, ZERO HORA, 24/09/2011 | 04h21min

O rastreamento do celular levado pela soldado Luane Chaves Lemes, 23 anos, é a esperança da Polícia Civil para descobrir o paradeiro da PM, que sumiu há cinco dias em Passo Fundo, no norte do Estado.

Autorizada pela Justiça, a interceptação do último sinal telefônico registrado pela operadora pode revelar a localização da jovem.

Por meio de Estações Rádio Base (ERBs), os investigadores pretendem verificar o trajeto percorrido por ela, uma vez que o celular renova constantemente o sinal. Se o usuário muda para outra área de cobertura, uma nova comunicação é realizada. Os dados devem levar alguns dias para chegar à polícia.

Na sexta-feira, a Justiça autorizou a quebra dos sigilos bancário e telefônico da policial. As informações serão usadas pela investigação para verificar o histórico de ligações e mensagens de texto, bem como possíveis saques de dinheiro desde o sumiço.

O notebook de Luane foi encaminhado para análise da perícia em Porto Alegre.