ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

PACIFICAÇÃO - DENÚNCIA DE LIGAÇÃO COM O TRÁFICO

Comando de UPP é afastado por denúncia de ligação com o tráfico no Rio - Agência Brasil, CORREIO BRAZILIENSE - 12/09/2011 09:49

A Polícia Militar do Rio de Janeiro afastou nesta segunda-feira (12/9) o comandante e o subcomandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) dos morros Coroa e Fallet/Fogueteiro, na zona norte da cidade, após denúncia de moradores de que os policiais recebiam propina de traficantes da região.

Em nota, a Polícia Militar informou ontem (11/9) que o capitão Elton Costa e o tenente Rafael Medeiros foram afastados com base em um inquérito aberto há 60 dias para investigar “um esquema de pagamento de propina em troca do relaxamento das ações de fiscalização e favorecimento da venda de drogas nas comunidades”.

Segundo o comandante da PM, coronel Mário Sérgio Duarte, a investigação está em fase final e deve ser concluída em uma semana.

“Não temos indicações de que haja corrupção em outras UPPs, mas estamos atentos todo o tempo. Buscamos manter o monitoramento em todas as unidades, observando o trabalho desenvolvido, e exercendo um papel correcional quando práticas inadequadas são verificadas. Não nos furtaremos de tomar medidas duras, mesmo que os punidos ocupem cargos representativos na hierarquia da instituição.”

A rotina de policiamento ostensivo não será alterada, segundo o comandante-geral das UPPs, Robson Rodrigues. Ele adiantou que será criada uma ouvidoria para melhorar a comunicação entre a polícia e a comunidade.

“Realizamos reuniões periódicas em todas as comunidades, para que os policiais ouçam as demandas, e é justamente daí que surgem informações importantes. A ouvidoria será mais uma ferramenta de comunicação e de satisfação à sociedade. Além disso, temos um pacote de medidas administrativas, judiciais e operacionais que serão colocadas em prática em breve.”

A população pode usar os números (21) 2333-2757 e (21) 2333-2753 e o site www.coordenadoriaupp.com.br para fazer denúncias ou enviar sugestões.

Na segunda-feira passada (5/9), três policiais foram presos em flagrante próximo à área da UPP Coroa e Fallet/Fogueteiro com R$ 13 mil dentro de um carro particular. De acordo com Secretaria de Segurança Pública (Seseg), os militares (um sargento e dois soldados) estavam de folga e não souberam explicar a procedência do dinheiro. A UPP da comunidade foi inaugurada em fevereiro deste ano e é a 15ª do estado.