ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

REAJUSTE RS - POLICIAIS CIVIS REJEITAM PROPOSTA DO PIRATINI

Policiais civis rejeitam proposta do governo e aprovam paralisação. Pagamento seria de 7% em outubro e de 3% em abril do ano que vem - zero hora online, 15/09/2011 | 18h54min

Os policiais civis rejeitaram, em assembleia realizada nesta quinta-feira, a proposta de reajuste feita pelo governo. A categoria aprovou paralisação nos dias 28 e 29 de setembro para pressionar por uma nova proposta.

Em reunião na semana passada, a Casa Civil propôs aumento de 10%, sendo 7% em outubro e 3% em abril de 2012. Está prevista nova rodada de negociação dos policiais civis com o governo nesta sexta-feira.

— Além do índice de reajuste em si, que é baixo, há grande indignação pela falta de tratamento isonômico com outras categorias da segurança pública — afirmou Isaac Ortiz, presidente da Ugeirm, Sindicato dos Escrivaes, Inspetores e Investigadores de Policia do Rio Grande do Sul.
ZERO HORA