ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

O PIOR SALÁRIO - PIRATINI OFERECE REAJUSTE DE 23%


Governo retira abono e oferece proposta de reajuste nos salários para soldados da BM. Decisão foi tomada em nova reunião de negociação com a categoria no início da tarde. José Luís Costa, ZERO HORA ONLINE, 15/09/2011, 16h56min

Representantes de associações da Brigada Militar receberam nesta quinta-feira nova proposta do governo sobre reajuste nos salários. O abono de R$ 300, que foi negado pela Associação de Cabos e Soldados da BM, foi retirado e foi oferecido aumento de aproximadamente 23% que chegaria em duas parcelas: uma em outubro e outra em abril do ano que vem. O presidente da associação, Leonel Lucas, ficou de levar a proposta para a categoria em assembleia, que ainda não tem data marcada.

Na mesma reunião, na Casa Civil, foi oferecida proposta de reajuste para representantes da Associação de Sargentos, Tenentes e Subtenentes da Brigada Militar, no índice que varia entre 11% e 18%.

Reunião de emergência:

Apesar do avanço dos protestos com queimas de pneus, cartazes e bonecos com fardas da BM e susposto explosivos em todo Estado, o governo garante que as tratativas sobre reajuste salarial dos policiais militares prosseguirão. Esta foi a decisão após uma reunião de emergência da cúpula da segurança do governo que durou 1h40min.

Na manhã desta quinta-feira, Tarso Genro reuniu-se no Palácio do Piratini com o secretário de segurança, Airton Michels, o comandante da Brigada Militar, coronel Sérgio Abreu, e o chefe da Casa Civil, Carlos Pestana.

Já foi realizado um levantamento inicial para tentar identificar os possíveis autores da manifestação que causou transtornos no centro de Porto Alegre nesta manhã. Foram ouvidos porteiros, moradores e pedestres. Imagens de diversas câmeras de vídeo são analisadas.

Segundo o governo, não está descartado o envolvimento de civis ou de oficiais nas recentes manifestações. Há inquéritos regionais que investigam todos os protestos no RS. Uma apuração é concentrada na corregedoria com todos os inquéritos.



Boneco "fardado" é usado para protestar em Caçapava do Sul. Artefato foi pendurado no pórtico da entrada da cidade - ZERO HORA, 15/09/2011 | 11h41min

Os protestos por reajuste salarial dos policiais militares no Rio Grande do Sul seguem pelo Estado. Na madrugada desta quinta-feira, um boneco vestido com um macacão com as mesmas cores do uniforme da Brigada Militar foi pendurado no pórtico de entrada do município de Caçapava do Sul, na Região Sudoeste.

O boneco vestia também coturnos e um boné semelhante ao usado pelos integrantes do Corpo de Bombeiros. No macacão, havia as inscrições "Queremos reajuste já!" e "Esmola não!". Os responsáveis pelo protesto não foram identificados.

Caçapava do Sul já havia registrado um protesto por reajuste salarial no dia 30 de agosto, quando uma faixa foi colocada na entrada da cidade.

Na manhã desta quinta-feira, em Porto Alegre, um boneco com farda da Brigada Militar provocou transtornos para o trânsito no Centro. Em razão da suspeita de bomba, houve operação do Gate, que interditou algumas vias. Foi constatado que não havia o artefato explosivo.

O avanço dos protestos supostamente realizados por policiais militares descontentes motivou reunião da cúpula de segurança.