ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

O PIOR SALÁRIO - MAIS UMA BARREIRA DE PNEUS QUEIMADOS

Barreira de pneus bloqueia BR 285 nas Missões. Governo adiou reunião para negociar salários da polícia militar - Correio do Povo e Jimmy Azevedo / Rádio Guaíba - 09/09/2011 08:06

Mais uma barreira feita com pneus e fogo foi colocada em uma estrada gaúcha. Por volta das 5h40min desta sexta-feira, o km 495 da BR 285, em Entre-Ijuís, nas Missões, foi parcialmente interrompido. Uma faixa com os dizeres “Polícia - menor salário do Brasil elegeu Tarso” foi deixada no local. Cerca de meia hora depois, os patrulheiros liberaram a pista.

Desde o mês passado, uma série de protestos, atribuída a policiais militares, ocorre no Estado para reivindicar melhores salários. Diversas estradas e ruas da Capital e do interior foram interrompidas com pneus queimados. A categoria rejeitou a proposta anterior apresentada pelo governo e pediu aos manifestantes que suspendam o bloqueio de rodovias. O governo chegou a afirmar que não apresentaria novo índice caso os protestos continuassem.

A Casa Civil, que se reuniria com a categoria nesta sexta-feira, pediu mais um tempo para apresentar um novo índice de reajuste aos policiais militares. O encontro foi adiado para as 17h de segunda-feira.