ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

O PIOR SALÁRIO - APROXIMAR SALÁRIOS MISERÁVEIS (BM) DOS MINGUADOS (PC)

Piratini tenta aproximar salários da Segurança. Ao adiar proposta, governo estuda equiparar vencimento de soldado ao de inspetor da Polícia Civil - VIVIAN EICHLER

Em meio a novos protestos com queima de pneus, o governo adiou a apresentação de uma proposta de reajuste salarial à Brigada Militar. A reunião com os servidores de nível médio da BM, prevista inicialmente para hoje, foi remarcada para segunda-feira, às 17h15min.

Ocomando da BM e os secretários da Casa Civil, da Segurança, da Fazenda e da Administração deverão ter sucessivos encontros hoje para melhorar a proposta. O objetivo do governo, segundo a Casa Civil, é reforçar o salário dos soldados para aproximar os vencimentos da menor patente da BM ao de inspetores e escrivães de 1ª classe da Polícia Civil. A diferença é de cerca de R$ 1 mil.

Uma das possibilidades seria garantir que, até 2014, o salário dos soldados saltasse dos R$ 1.170 atuais para aproximadamente R$ 2 mil. O chefe da Casa Civil, Carlos Pestana, ressalta, no entanto, a dificuldade de fixar valores até 2014 devido a incertezas com o comportamento da economia diante da crise mundial.

Os praças da BM reivindicam 25% de reajuste linear e a injeção de R$ 400 milhões anuais até 2014 na matriz salarial – lei que escalona reajustes na Segurança Pública. Se o governo atendesse à reivindicação completa, o salário de um soldado em 2014 chegaria a R$ 3,2 mil.

O governo afirma que ainda não encontrou a melhor oferta aos PMs e por isso adiou a reunião. Fontes do Executivo observam que o Palácio Piratini quer ter o cuidado de partir de uma proposta que não incite a revolta dos praças, injetando ânimo nas manifestações das últimas semanas. Apesar dos novos protestos, a avaliação do governo é de que o movimento perdeu força com a identificação dos responsáveis.

Integrantes da BM reconhecem que o pleito de R$ 3,2 mil é inviável e acreditam que seria possível negociar até o limite de R$ 2,5 mil a R$ 2,6 mil no salário do soldado em 2014.

Oficiais da BM também pressionam por aumento

O clima de insatisfação na BM também abrange as mais altas patentes. Ontem, o governador Tarso Genro recebeu integrantes da Associação dos Oficiais da BM, que também aguardam a apresentação na semana que vem de uma proposta que recomponha o salário de todos os níveis na BM.

– Esperamos que seja uma proposta decorosa – declarou o presidente da associação, tenente-coronel da reserva José Riccardi Guimarães, presidente da Associação.

Guimarães chama de “decorosa” um aumento que, pelo menos, iguale os vencimentos de um capitão da BM a um delegado de polícia de 1ª classe, cuja diferença chega a R$ 2 mil, calcula o oficial.

Avança acordo na Polícia Civil

Ontem, servidores da Susepe e da Polícia Civil – que haviam recusado proposta de reajuste de 7% do governo na semana passada –, deram início a um entendimento. O Piratini ofereceu 7% em outubro e outros 3% de aumento em março. Também foi prometida a concessão da aposentadoria especial aos servidores da Susepe e a revisão de percentuais da matriz salarial no ano que vem. O chefe da Casa Civil, Carlos Pestana, afirmou que um entendimento já poderia ter ocorrido com a BM, não fossem os episódios de queima de pneus, classificados pelo governador como atos criminosos.

– Poderíamos estar com a negociação bem mais evoluída (na Brigada Militar), vide o exemplo da Polícia Civil – disse Pestana.


Novos protestos no RS

- A rodovia Sananduva-Lagoa Vermelha (ERS-126) foi bloqueada por volta das 4h de ontem em Sananduva (foto acima), no norte do Estado. Foi mais uma manifestação de PMs que reivindicam reajuste salarial. Com queima de pneus e faixa de protesto, o trânsito na rodovia foi interrompido por cerca de uma hora.

- No mesmo horário, também houve manifestação no km 404 da rodovia Tabaí-Canoas (BR-386), em Triunfo. Às 23h30min de quarta, um ato ocorreu no km 8 da rodovia Portão-Montenegro (ERS-240), em Portão. Nos dois locais, os manifestantes deixaram uma faixa.

- Em Novo Hamburgo, por volta das 6h, um boneco com farda da BM foi localizado no viaduto da Avenida 7 de Setembro, sobre a BR-116. O boneco foi removido e encaminhado para a BM.


COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - ESTA PROPOSTA É AVILTANTE. "Aproximar salários da Segurança, EQUIPARANDO salários miseráveis com salários minguados parece piada ou escárnio. Os policiais civis ganham menos do que valem e os Delegados só conseguem maior vantagem salarial no cargo inicial superior entre delegado de primeira classe e o capitão da BM, aumentado por vantagens não percebidas pelos oficiais como substituição por delegacia de polícia. E estes valores são bem menores aos recebidos pelos promotores públicos e defensores públicos.