ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sábado, 4 de fevereiro de 2012

AGRESSÃO A ADOLESCENTE REVOLTA FIÉIS


INCIDENTE NA PROCISSÃO. Agressão de PM contra adolescente revolta fiéis - ZERO HORA 04/02/2012

A Brigada Militar investiga a agressão de um PM contra um adolescente de 14 anos durante a procissão de Nossa Senhora de Navegantes, na quinta-feira, na Capital.

Um vídeo divulgado na internet registra o momento em que o policial desfere um soco no garoto, causando indignação de fiéis.

Segundo o major Jorge Renato Maya, do 9º BPM, a confusão começou quando PMs apoiavam fiscalização da prefeitura contra vendedores sem licença. Um dos ambulantes teria se recusado a entregar as bebidas e foi detido.

O garoto foi agredido quando tentou ajudar o pai, que estava imobilizado. Ele foi encaminhado ao Departamento Estadual da Criança e do Adolescente, onde responderá por desobediência e resistência. O ambulante assinou termo circunstanciado e foi liberado.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - É lamentável esta atitude violenta. As palavras do Comandante Geral da BM que tem orientado e falado muito em direitos humanos deveria ter eco na tropa. Que este fato seja apurado com o devido rigor e intensificado técnicas de imobilização para a tropa. O despreparo técnico pode atacar o emocional e levar um policial a usar de medidas desproporcionais para conter ou imobilizar um agressor.