ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

GREVE PMBA - REPÓRTER NARRA AO VIVO CONFRONTO COM EXÉRCITO

Repórter narra ao vivo confronto entre Exército e grevistas. Greve de PMs na Bahia provoca onda de saques, arrastões e mais de 80 mortes - Rádio Guaíba e AE, CORREIO DO POVO, 06/02/2012 08:54

A greve de policiais militares (PMs) provoca uma onda de saques, arrastões e deixa mais de 80 mortes na Bahia. O repórter da rádio Sociedade, Jorge Araújo, registrou nesta segunda-feira, ao vivo, o momento em que a polícia do Exército atira contra os grevistas que ocuparam o prédio da Assembleia Legislativa, em Salvador.

Cerca de 600 homens do Exército cercaram a Assembleia nesta manhã para cumprir 11 mandados de prisão contra policiais militares grevistas, de acordo com a Secretaria de Comunicação da Bahia. Por volta das 6h, o Exército começou a fazer o isolamento do prédio, que fica no Centro Administrativo, para que a Polícia Federal cumprisse os mandados contra PMs que ocupam a Casa Legislativa desde o dia 31.

Além do Exército, homens da Companhia de Operações Especiais da Polícia Militar estão nas proximidades da Assembleia. O pedido para a desocupação do prédio da Assembleia foi feito nesse domingo pelo presidente da Casa, deputado Marcelo Nilo, ao general Gonçalves Dias. Nilo disse que "os trabalhos legislativos precisam voltar à normalidade e que a Assembleia não pode ser usada como abrigo para foragidos da Justiça". O deputado falou ainda que o pedido partiu dele mesmo, e não do governador.

Ouça o áudio: Repórter descreve momento em que Exército atira contra grevistas

http://www.correiodopovo.com.br/Player.aspx?Data=02/06/2012%2008:41:05&Arquivo=238210&Ext=MP3&Legenda=Rep%C3%B3rter%20descreve%20momento%20em%20que%20Ex%C3%A9rcito%20atira%20contra%20grevistas