ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

CAMPANHA "LEGALIZE O BICO" - DIGA NÃO!


Campanha legalize "bico" - Postado por Moderador. POLÍCIA-BR em 22 fevereiro 2012 às 18:00


A indignação tomou conta de mim, é extremamente chocante ver o desencadear de uma campanha assim.

Sou totalmente contra o policial e bombeiro fazer “bico”, e acredito que não só eu, mas todos os policiais e bombeiros do Brasil e do mundo também são contra o “bico”, o fazem por necessidade extrema devido aos baixíssimos salários que recebem, o “bico” degrada os policiais e os bombeiros, bem como suas famílias, o fazem contrariados e por extrema necessidade, é uma questão de sobrevivência, ninguém é a favor do “bico”.

As estatísticas já mostraram que 80% dos casos de mortes aconteceram no “bico”, o policial e o bombeiro quando estão trabalhando no “bico” só tem as horas que ali estão remuneradas, colocando suas vidas em jogo por um complemento salarial, defendendo o patrimônio alheio, morreu, é menos um e a família lançada à própria sorte não tem suporte algum do estado e tão pouco do dono do “bico” ou “patrão”.

Enquanto não se resolve a questão salarial da categoria, infelizmente o “bico” vai e deve continuar, como já disse, é uma questão de sobrevivência e ninguém faz “bico” porque quer, é obrigado e eu não sou contra em uma situação destas.

Tal situação tem sido ao longo dos anos muito cômoda para os governos estaduais e federais, o “bico” segurou a tropa por um bom tempo, mas agora chega, a hora não é de lutar por legalização de “bico” e sim por salários de verdade, salários condizentes com o profissional que você é e os serviços que presta as comunidade do Brasil em nome do estado e da federação, chega de migalhas, o caminho a seguir é sempre em frente na grande batalha que se trava com os governos por dignidade salarial, a luta e justa e de direito, com responsabilidade e inteligência a hora é de usar o peso do voto que é muito maior que o peso das greves, a hora é de buscar o contato corpo a corpo com a população e a cada ocorrência atendida expor sua indignação ao povo brasileiro e, assim, aos poucos, conquistar a opinião pública o que não é nada difícil, basta a humildade para falar a verdade e mostrar a realidade da falência da segurança pública no Brasil por descaso de governos que no primeiro momento para cobrir o deficit público fez um bloqueio de recursos no orçamento deste ano (2012) totalizando R$ 55 bilhões, atingindo a saúde pública, educação e segurança, bens comuns da sociedade (A sociedade a que me refiro aqui é o povo honesto e trabalhador).

Portanto, lutar por legalização de “bico” é lutar contra si mesmo, a luta justa e de direito é por salários dignos que proporcionem ao policial e bombeiro ter sua casa própria, carro para passear coma família, tempo para desfrutar do aconchego do lar e da família depois de vencida a árdua batalha de sua jornada de trabalho pública, assim, estar pronto para a próxima.

Não desviem o foco, a luta é por melhores condições de trabalho e melhores salários, à hora é agora, não se deixem levar por agitações impensadas, BICO NÃO, SALÁRIOS DIGNOS SIM, em frente camaradas!


FONTE: http://policialbr.com

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Estou com o autor do artigo. Diga "NÃO" ao bico e à venda da folga, do lazer, da saúde e do convívio familiar. Diga "SIM" aos salários dignos capazes de proporcionar dedicação exclusiva à profissão policial, dedicação à família, cuidados com a saúde, preparação técnica, física e psicológica, e lazer para liberar todo o estresse das jornadas árduas e perigosas,