ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sábado, 18 de fevereiro de 2012

ATENDIMENTO DE OCORRÊNCIA: PMs SE ENVOLVEM EM BRIGA GENERALIZADA

PMs teriam participado de briga - CORREIO DO POVO, 18/02/2012

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar a participação de policiais militares em uma briga generalizada foi registrada no domingo passado, em Flores da Cunha, na Serra gaúcha, em um posto de combustível. Cinco pessoas alegaram terem sido agredidas sem necessidade e denunciaram os brigadianos. De acordo com a Brigada Militar, a briga envolveu 50 pessoas e o procedimento adotado está dentro do padrão para controlar a confusão.

Tudo teria começado com uma queixa de um morador, próximo ao estabelecimento, que alegou perturbação do sossego, pois, segundo ele, frequentadores do posto de combustível estariam escutando música em som alto no automóvel.

O proprietário, revoltado com a abordagem policial, foi imobilizado com uma arma de choque, o que gerou a confusão.

A versão da Briga Militar é de que o dono do posto estava alterado e não aceitou a abordagem policial. A titular da Delegacia de Polícia de Flores da Cunha, Aline Martinelli, relatou que, entre as agressões, uma mulher foi atingida com spray nos olhos, e que outro jovem afirmou que os policiais quebraram o vidro de seu automóvel com golpes de cassetete. Uma outra mulher alegou também ter sido vítima de agressão. Do outro lado, um policial levou uma garrafada na cabeça.

A Brigada Militar registrou ocorrência de perturbação do sossego e de ameaça.