ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

O PIOR SALÁRIO - PIRATINI ADIA REUNIÃO PARA A PRÓXIMA SEMANA

Sem conseguir finalizar proposta, governo transfere reunião com BM para semana que vem. Casa Civil quer apresentar proposta que contemple todos os níveis da Brigada Militar - ZERO HORA, 08/09/2011 | 17h23min

O governo transferiu para o início da semana que vem a apresentação da proposta de reajuste aos cabos e soldados da Brigada Militar, que seria feita nesta sexta-feira. A decisão foi anunciada após reunião na manhã desta quinta-feira entre o governador Tarso Genro e representantes dos oficiais da BM, que também reivindicam reajuste salarial.

Segundo o chefe da Casa Civil, Carlos Pestana, a intenção do governo é apresentar, na segunda-feira, uma proposta que contemple todos os níveis da BM. De acordo com Pestana, o governo ainda trabalha em uma proposta que contemple a todas as reivindicações.

As negociações com os cabos e soldados foram retomadas depois que a Associação Beneficente Antônio Mendes Filho (Abamf), que representa os servidores de nível médio da BM, manifestou-se, em nota, contra os protestos de policiais em estradas do interior do Estado. Na semana passada, o governo havia condicionado novas reuniões ao fim dos protestos.

Mesmo assim, novas manifestações foram registradas nesta quinta-feira, com queima de pneus nas cidades de Triunfo, Portão e Novo Hamburgo. Os cabos e soldados reivindicam 25% de reajuste imediato.

Já os oficiais da Brigada Militar buscam equiparação salarial aos defensores públicos. O presidente da Associação dos Oficiais da BM (ASOFBM), tenente-coronel da reserva José Riccardi Guimarães, espera que a proposta do governo, pelo menos, iguale os vencimentos de um capitão da BM ao de delegados de polícia de 1ª classe, que têm entre si uma diferença de aproximadamente R$ 2 mil, segundo o oficial.

Policiais civis e Susepe

Também na tarde desta quinta-feira, o governo se reuniu com representantes dos servidores da Polícia Civil e Susepe e apresentou uma nova proposta. O reajuste concedido seria de 10%, com 7% pagos em outubro e outros 3% pagos em abril do ano que vem, além dos 4% que já foram repassados no início do ano pela matriz salarial.