ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

GREVE PM - BAHIA REGISTRA 80 ASSASSINATOS PÓS GREVE


Bahia registra 80 assassinatos após greve de policiais militares. Tropas do Exército e Força Nacional estão sendo posicionadas e governo redução da violência nos próximos dias. 05 de fevereiro de 2012 | 11h 54. Tiago Décimo, do estadão.com.br


Salvador, 5 - A presença das tropas do Exército em Salvador, em especial nos bairros turísticos, aumentou a sensação de segurança, fez a população e os visitantes voltarem às ruas para aproveitar as praias e as atrações, mas nos bairros periféricos os registros de violência continuam altos.

A noite de ontem e a madrugada de hoje voltaram a registrar, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública, altos índices de homicídios pela região metropolitana da capital. No total, houve mais 22 assassinatos, dos quais 14 em Salvador. Apenas no bairro de Valéria, três homens foram vítimas de uma chacina.

Com os novos registros, chegam a 80 os homicídios em Salvador e região metropolitana, 54 apenas na capital, desde terça-feira, quando teve início a paralisação parcial da PM na Bahia. A capital registrou, no ano passado, média de 4,2 homicídios por dia, segundo dados da SSP. Na região metropolitana, a média foi de 6,1.

Segundo o comando-geral da PM no Estado, as tropas do Exército e da Força Nacional de Segurança, enviadas pelo governo federal para auxiliar no policiamento ostensivo na capital e nas principais cidades do interior, ainda estão sendo posicionadas nos bairros de Salvador e o governo espera uma redução no número de assassinatos nos próximos dias.