ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sábado, 20 de agosto de 2011

POLICIAIS ERRAM O CAMINHO. UM MORRE E OUTRO É FERIDO EM TIROTEIAM COM TRAFICANTES.

Caminho errado. Um policial civil é morto e outro baleado na Maré - O GLOBO, 20/08/2011 às 08h56m; Athos Moura

RIO - Um policial civil morreu e outro ficou ferido na noite desta sexta-feira após trocarem tiros com bandidos da comunidade Boa Esperança, na Maré. Evandro Carlos Mendes, de 33 anos, lotado no Instituto Médico Legal (IML), e Walter Cardoso, lotado na Academia Estadual de Polícia Silvio Terra (Acadepol), seguiam para o Centro pela Linha Vermelha, mas acabaram errando o caminho e entraram dentro da comunidade e foram abordados por homens armados.

Houve tiroteio e Walter, que estava no banco do carona, morreu na hora. Evandro, que estava dirigindo o carro, foi baleado duas vezes em uma das pernas. Mesmo assim conseguiu dirigir até o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, onde foi operado para a retirada das balas. De acordo com a polícia, Evandro seguia pela Linha Amarela e decidiu acessar a Linha Vermelha para não enfrentar um engarrafamento na Avenida Brasil. Segundo o irmão de Evandro, o policial teria dito que o tiroteio começou depois que bandidos teriam tentado roubar seu carro.

Três homens foram presos no Hospital Federal de Bonsucesso (HFB) suspeitos de terem participado do tiroteio. Matheus Nascimento da Silva, de 18 anos, foi baleado no braço; Vitor Souza os Reis, de 28 anos; e Gladson Ales dos Santos, de 20, foram baleados no tórax. Eles procuraram atendimento na Unidade de Pronto Atendimento de Bonsucesso, mas como a UPA não tinha condições de atendê-los, o trio foi encaminhado para a HFB. Policiais militares do 22º BPM (Maré) estiveram no local e os prenderam.

A família de Evandro, que está há 12 anos na Polícia Civil, esteve no Hospital Getúlio Vargas e criticou a falta de sinalização do local. A mãe do policial disse que só permanece no Rio de Janeiro porque seus filhos moram na cidade:

- Senão fosse pelos meus filhos, que moram aqui, eu já teria me mudado para um local mais tranquilo. Hoje perdemos um amigo e meu filho está ferido. Talvez se tivesse mais placas orientado isso não teria acontecido - disse.

O corpo de Walter será enterrado neste sábado, no Cemitério de Irajá, na Zona Norte. O caso foi encaminhada para a Divisão de Homicídios.