ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

O PIOR SALÁRIO - PNEUS QUEIMADOS BLOQUEIAM RODOVIA EM SÃO LUIZ GONZAGA

Protesto com queima de pneus deixa trânsito em meia-pista por 45 minutos em São Luiz Gonzaga. Corpo de Bombeiros foi chamado para atender a ocorrência na BR-285 - ZERO HORA, 31/08/2011 | 03h16min

Em mais um protesto por melhores salários, policiais militares queimaram pneus na BR-285, em São Luiz Gonzaga, na noite de terça-feira. A manifestação ocorreu no km 565 da rodovia por volta de 23h30min.

A ocorrência foi atendida pelo Corpo de Bombeiros da cidade, que levaram 45 minutos para liberar o trânsito. A estrada ficou bloqueada em meia-pista. No local, uma faixa dizia: "São Luiz Gonzaga: terra de Jayme Caetano Braun e onde os salários dos PMs também é o menor do Brasil".

A onda de bloqueios de rodovias com pneus em chamas aumentou a tensão em torno da negociação salarial entre governo e a entidade que representa os soldados da Brigada Militar.

Depois de apoiar sete protestos e acertar uma trégua, a Associação Beneficente Antônio Mendes Filho (Abamf), entidade que representa servidores de nível médio da BM, perdeu o controle sobre os incendiários que voltaram a trancar estradas.