ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

O PIOR SALÁRIO - LIDERANÇAS INDEPENDENTES SURGEM NA BM

WANDERLEY SOARES, REDE PAMPA, O SUL, 25/08/2011

Lideranças independentes começam a surgir entre os brigadianos criando um clima inédito no campo reivindicatório

Policiais Militares não só realizam como ameaçam desencadear novos protestos nas estradas gaúchas como estratégia no conjunto de ações por aumento salarial.

No mês de agosto estão registradas sete ações em rodovias gaúchas com queima de pneus. Três ocorreram na madrugada de ontem, na BR-116 em Estância Velha, na BR-153 no Norte do estado e na RS-344 em Santa Rosa. Em nenhum dos casos os manifestantes foram vistos. Os patrulheiros rodoviários só localizaram os pneus queimados e faixas reivindicando melhores salários.

O presidente da Associação de Cabos e Soldados assumiu a autoria de parte dos atos. Leonel Lucas afirmou que se as negociações com o governo não evoluírem até 1 de setembro todas as rodovias federais podem ser bloqueadas. A PEC 300 que tramita no Congresso propõe que os salários de policiais militares, civis e bombeiros sejam equiparados aos do Distrito Federal, os maiores do país. Com isso, o piso iria para 3.500 reais.

Nesse quadro, ocorre que lideranças isoladas, não ligadas às entidades representativas dos brigadianos, estão surgindo em vários pontos do Estado, criando um clima até então de inédito no campo reivindicatório diante da lenta e indecisa política governamental.

IMPUNIDADE - TRAFICANTE ESTAVA EM PRISÃO DOMICILIAR

Agentes do Denarc prenderam, terça-feira última, na rua Brigadeiro Ivo Borges, bairro São Luís, em Canoas, um homem de 47 anos. Houve a apreensão de uma balança digital, uma caixa de munição, um porta carregador de cinto, um carregador de pistola calibre 380, municiado com 17 cartuchos e 252 gramas de cocaína. Segundo o delegado Thiago Bennemann Gonçalves, a prisão foi resultado de duas semanas de investigações. O traficante estava em regime de prisão domiciliar.

JUSTICEIRO PRESOS

Em São Leopoldo foi presa uma quadrilha acusada de uma série de homicídios na região do Morro do Paula. São três irmãos e um cunhado que contra os quais havia mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça. O grupo está envolvido em três assassinatos e três tentativas de homicídios. De acordo com o delegado Alencar Carraro, os criminosos se autointitulavam de justiceiros

AGENTES PENITENCIÁRIOS EM PERIGO

Uma classe de profissionais que trabalha sob constante ameaça, sem direito a carros blindados, é a de agentes penitenciários. Quando uma ameaça de morte se concretiza, é lavrado um boletim de ocorrência e o agente continua trabalhando normalmente com armamento defasado, sem proteção balística, que deveria ser fornecida pelo Estado, e dependendo de transporte coletivo para sair e voltar para casa.

REAJUSTE SALARIAL DOS SERVIDORES DO JUDICIÁRIOS

A Ajuris, através de nota oficial assinada pelo seu presidente, João Ricardo dos Santos Costa, manifestou, ontem, publicamente, seu apoio ao reajuste de salário reivindicado pelos servidores do Judiciário.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Salvo o primeiro tópico, tomei a liberdade de inserir títulos nos seguintes.