ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sábado, 6 de agosto de 2011

INSEGURANÇA - TODOS PEDEM DEMISSÃO E CIDADE FICA SEM POLÍCIA


MÉXICO: cidade fica sem policiais após todos pedirem demissão - PORTAL TERRA, THE GUARDIAN, 05 de agosto de 2011 • 05h06

Todas as 26 pessoas da força policial de uma cidade no norte do México pediram demissão depois de uma série de ataques que mataram o chefe de polícia e cinco oficiais nos últimos três meses, confirmaram as autoridades locais, de acordo com o jornal The Guardian.

A demissão em massa deixou as 13 mil pessoas da cidade de Ascensión, próxima à fronteira com os Estados Unidos, sem serviços de polícia, disse o procurador do estado de Chihuahua, Carlos Manuel Salas. Policiais federais e de outros estados foram deslocados para o município para garantir a segurança.

O incidente está conectado com o ataque da última terça-feira que matou três oficiais da cidade, afirmou Salas. O episódio, no entanto, não foi o primeiro com baixas no departamento neste ano. Em maio, o chefe de polícia Manuel Martínez, que estava no cargo havia sete meses, foi assassinado com mais dois colegas em uma rodovia. Os três foram sequestrados um dia antes da polícia encontrar seus corpos repletos de balas em um veículo.

De acordo com o The Guardian, a atual força policial era nova na cidade. Em setembro do ano passado, todos os policiais foram substituídos, depois que os moradores acusaram a cumplicidade dos oficiais com membros de gangues de drogas, que teriam participado da morte de dois adolescentes na época.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - No Brasil, os policiais não pedem demissão porque são concursados. Mas diante dos riscos de morte nos enfrentamento de arsenal de guerra, do sucateamento do aparato policial, da inexistência de um sistema de ligações e processos ágeis, do enfraquecimento do poder de polícia, da perda da autoridade, da falta de continuidade dos esforços policiais na justiça, da ausência de leis fortes e salvaguardas adequados, e da desvalorização da profissão policial cujos cargos são pagos com salários miseráveis e indignos, bem que poderiam se mobilizar para pedir SOCORRO.

Qualquer semelhança não é mera coincidência.

http://policiamentocomunitario.blogspot.com/2011/04/policia-comunitaria-e-comunidade-sem.html