ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

DETECTOR DE MENTIRAS PEGANDO PÓ

INFORME ESPECIAL | TULIO MILMAN - ZERO HORA, 23 de agosto de 2011

Pegando pó

Uma parceria entre os governos federal e estadual garantiu a compra de um “detector de mentiras” para a polícia gaúcha. O programa de computador compara padrões vocais para indicar se o discurso contém imprecisões ou inverdades. É usado especialmente em investigações criminais.

Em 2009, o sistema foi atualizado.

Desde fevereiro, o investimento de cerca de R$ 100 mil está ocioso. Os quatro servidores treinados para operá-lo foram transferidos.

É a mais pura verdade.