ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

O PIOR SALÁRIO - MAIS DUAS BARREIRAS COM PNEUS QUEIMADOS


Mais duas barrreiras com pneus queimados são encontradas no Estado. Protestos por melhores salários para PMs ocorreram em Santiago e Lajeado - CORREIO DO POVO ONLINE, 29/08/2011 10:56

A série de protesto por melhores salários para policiais militares (PMs) segue no Rio Grande do Sul. Mais duas barreiras com pneus queimados foram encontradas na madrugada desta segunda-feira em duas rodovias do Estado. A primeira foi localizada em Santiago, no Centro, no km 402 da BR 287. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) encontrou a segunda às 3h, em Lajeado, no Vale do Taquari, no km 337 da BR 386.

De acordo com o presidente da Associação Beneficente "Antonio Mendes Filho" dos Cabos e Soldados da Brigada Militar (BM), Leonel Lucas, também foram encontrados cartazes e faixas pedindo melhores salários aos policiais militares. O dirigente informou que já conversou com as lideranças da Brigada Militar (BM) e havia pedido uma trégua até esta quarta-feira. "Desconheço a autoria desses protestos. Acredito que a queima de pneus não tenha sido feita por policiais da ativa nem por aqueles que estão aposentados", afirmou. "Penso que estão tentando desarticular o diálogo que estava estabelecido com o Governo do Estado", acrescentou.

O Comandante Geral da Brigada Militar, Coronel Sérgio Roberto Abreu, também não sabe a autoria dos novos protestos e afirmou que a investigação sobre as barricadas deve ser atribuída à Polícia Federal porque ocorrem em rodovias federais. "O Comando vem negociando com o Governo do Estado. Não entendo a razão dessas medidas tão radicais e duvido que tenham sido feitas por policiais militares. Talvez esse protesto seja de um grupo que quer se aproveitar da situação", explicou.

Mais de dez protestos

Já passa de dez o número de protestos por melhores salários para a BM, no Estado, neste mês. Somente na última sexta-feira, foram quatro registros. Um deles ocorreu em Gravataí, no km 18 da ERS 118, próximo à entrada para o Campus da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra). Em seguida, pneus foram queimados na avenida Getúlio Vargas, em frente à prefeitura de Alvorada.

A terceira barricada ocorreu no km 26 da BR 392, em Rio Grande, na zona Sul do Estado. A Polícia Rodoviária Federal informou que houve bloqueio total da pista por uma hora. Por volta das 5h, manifestantes atearam fogo a pneus no km 107 da BR 158, em Palmeira das Missões.