ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

TIROTEIO ENTRE CRIMINOSOS E PMS DA UPP NO RIO

FOLHA.COM 24/10/2013 - 10h10 - 
DO RIO


Um tiroteio entre criminosos e policiais militares da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) do Pavão-Pavãozinho, em Copacabana, na zona sul do Rio, deixou um homem morto na madrugada desta quinta-feira (24).

Segundo a PM, moradores chegaram a levar o corpo da vítima para a avenida Nossa Senhora de Copacabana na tentativa de prestar socorro, mas ela não resistiu aos ferimentos. Leandro Tomaz Rodrigues, 50, é morador da favela e foi atingido por um tiro. A inteligência da PM ainda investiga se ele teria alguma ligação com o tráfico de drogas local. 

O confronto teria começado quando policiais da UPP se depararam com cinco homens armados numa viela da comunidade. Houve tiroteio e corre-corre, mas os criminosos conseguiram fugir. 

Até as 9h30, eles não haviam sido identificados. 

A UPP do morro Pavão-Pavãozinho foi a quinta instalada no Rio, em 2009. Ela também abrange a favela Cantagalo, em Ipanema, zona sul da cidade.