ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

POLICIAIS DOS EUA MATAM ADOLESCENTE COM ARMA DE BRINQUEDO

FOLHA.COM 24/10/2013 - 10h41

Policiais dos EUA matam adolescente que carregava arma de brinquedo


DA EFE



Dois policiais de um condado da Califórnia, nos Estados Unidos, foram suspensos temporariamente de suas funções após terem matado um menino hispânico de 13 anos que estava com uma arma de brinquedo, informaram nesta quarta-feira as autoridades locais.

Às 15h locais de ontem (20h de Brasília), dois oficiais do condado de Sonoma, que não tiveram as identidades divulgadas, patrulhavam um bairro do sudoeste da cidade de Santa Rosa quando avistaram Andy López, vestido com um suéter com capuz azul e caminhando com o que parecia ser um fuzil AK-47, relatou o tenente Paul Henry.

Os agentes pediram reforços e depois saíram do veículo e ordenaram repetidamente ao jovem que colocasse a arma no chão. O menino estava de costas e se virou para os policiais.

"Um dos agentes descreveu que, assim que o menino virava em direção a ele, o cano da espingarda apontava em sua direção", afirmou Henry.

"O agente temeu por sua segurança, a de seu companheiro, e a dos residentes da área. Achava que o sujeito ia atirar contra ele e seu companheiro", disse.

Então, "o agente disparou várias vezes com sua arma de serviço contra o menino, o ferindo pelo menos uma vez". Em seguida, López "caiu imediatamente no chão", acrescentou.

López foi declarado morto no mesmo lugar pouco depois e está prevista uma necropsia amanhã.

Após os disparos, os agentes se aproximaram para averiguar a situação e prestar os primeiros socorros ao menino. Com isso, descobriram que a arma era de brinquedo e que a criança também tinha uma pistola de plástico presa em seu cinto.

A mãe de Andy, Sujey Annel Cruz Cazárez, condenou o fato em declarações ao jornal "The Press Democrat" na noite de terça-feira, após identificar o corpo.

"Por que o mataram? Por quê?", perguntou Sujey.

Henry ressaltou que o agente que disparou o fez com a consciência que "uma arma de assalto desse tipo é capaz de disparar uma bala que poderia perfurar seu colete à prova de balas, o exterior metálico de seu veículo e as paredes das casas próximas".

Em entrevista coletiva, o departamento de polícia de Santa Rosa exibiu a réplica que estava com López e uma espingarda AK-47 real, para mostrar a similaridade entre as duas.

Ainda não se sabe, por enquanto, se a réplica do jovem era capaz de disparar algum tipo de munição, pois no mercado americano existem muitas armas que se parecem com rifles de assalto e que disparam projéteis não letais.