ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

QUEIMA DE PNEUS - BOMBEIRO É SUSPEITO DE PARTICIPAR DE PROTESTOS

ZERO HORA 21/10/2011

A Brigada Militar identificou um bombeiro suspeito de comandar protestos com colocação de faixas, queima de pneus e interrupção da BR-386 em Lajeado, no Vale do Taquari. O policial militar, que não teve o nome divulgado, está lotado em um quartel do Corpo de Bombeiros da região. Ele é o quinto PM envolvido nas manifestações por melhores salários identificado pela corporação.

Ohomem, que teria mais de 10 anos de corporação, estaria envolvido em dois protestos, conforme o comandante do Comando Regional de Polícia Ostensiva (CRPO) do Vale do Taquari, tenente-coronel Antônio Scussel.

– Tivemos dois protestos. Em 29 de agosto, com queima de pneus na BR-386, e outro na manhã de 7 de setembro, com colocação de duas faixas anônimas em duas passarelas ao longo da rodovia, também em Lajeado. Já no dia 29 (de agosto) instauramos o inquérito e fizemos uma série de diligências. Quando ocorreu o segundo fato, apreendemos as faixas anônimas e chegamos ao militar – explica o comandante.

Interrogado há cerca de um mês, o PM negou envolvimento com a colocação das faixas e disse que só se manifestaria em juízo sobre a queima de pneus. O nome do bombeiro deve ser divulgado na segunda-feira, com mais detalhes da investigação.

Na quarta-feira, a polícia anunciou a identificação de seis envolvidos em protestos na Região Metropolitana. Um deles, o segundo-sargento da reserva João Carlos de Sousa foi indiciado por queima de pneus. Outro, o soldado do 24º BPM de Alvorada Marcelo Machado Maier, foi indiciado por incêndio e ameaça contra o governador.