ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sábado, 22 de outubro de 2011

FORTES VENTOS NO PIRATINI

WANDERLEY SOARES, REDE PAMPA, O SUL
Porto Alegre, Sábado, 22 de Outubro de 2011.


Tanto na Brigada Militar como na Polícia Civil continua a inconformidade com a política salarial que, por ora, acalmou apenas os cabos e soldados

Embora o Palácio Piratini tenha conseguido colocar em banho-maria suas negociações com os cabos e soldados da Brigada Militar, através de um aumento chinfrim, a efervescência com os oficiais superiores da corporação continua com aumento gradativo de aquecimento.

Na noite de quinta-feira, estiveram reunidos na sede da AsofBM (Associação dos Oficiais da Brigada Militar) os representantes de núcleos da entidade de todas as regiões do Estado. Na ocasião, os oficiais demonstraram estranheza diante do que consideram uma desconsideração por parte do governador Tarso Genro. Eles vêm reivindicando equiparação salarial às demais carreiras de Estado que compõem o sistema de persecução criminal e o silêncio do governador está sendo interpretado pela oficialidade como uma negativa às suas solicitações.

Na ocasião, foi exigida da diretoria da entidade a marcação de uma assembleia geral, com urgência, quando serão tratadas linhas de ação em caso da desconsideração do Piratini permanecer. Sigam-me

Primavera

O hiato entre o Piratini e a oficialidade da Brigada é, praticamente, o mesmo em relação aos delegados da Polícia Civil, que buscam equiparação salarial com os procuradores do Estado e já preparam também uma assembleia geral que deverá acontecer na primeira quinzena de novembro próximo. A inconformidade com a política salarial do governo também será motivo para a mobilização, em novembro, da Associação de Tenentes, Subtenentes e Sargentos da Brigada. Da minha torre, sinto que a primavera na Praça da Matriz promete ser de fortes ventos.

Crime e castigo

Um assalto terminou em perseguição policial e capotagem, na noite passada, na Zona Leste da Capital. O acidente ocorreu na avenida Antônio de Carvalho depois que dois homens roubaram um Uno Mille, no bairro Partenon. Na fuga, um dos criminosos saltou do veículo em movimento e o outro perdeu o controle do carro e capotou.

Drogas

O BOE (Batalhão de Operações Especiais) da Brigada Militar apreendeu, na noite de quinta-feira, mais de dois quilos de Crack e cerca de 250 cartuchos de calibres variados num casebre localizado na rua Irmã Nely, Vila Maria da Conceição, Zona Leste da Capital. Ninguém foi preso. Em Viamão, dois homens e três adolescentes foram presos por tráfico de drogas. De acordo com a Brigada Militar, os policiais abordaram o grupo no bairro Lomba Tarumã. Foram apreendidas cerca de 300 pedras de crack e meio quilo de cocaína, além de um revólver. Também no campo das drogas, sete jovens foram detidos depois de tiroteio no bairro Mário Quintana, em Porto Alegre. Os suspeitos são de grupos rivais que disputam o comércio de drogas na região

Mordaças

Na medida em que se torna impossível conter a insaciável gula de alguns políticos profissionais em negociações espúrias com o erário, nas quais não deixam impressões digitais, um dos remédios, ao que parece, é o de conter com mordaças jurídicas a indiscrição dos repórteres investigativos.