ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

domingo, 2 de outubro de 2011

PM A PAISANA FICA FERIDO EM CONFRONTO E MATA UM DOS ASSALTANTES

INVESTIDA FRUSTRADA. Assaltante morre e PM é ferido - ZERO HORA 02/10/2011

Um assaltante foi morto e um policial militar à paisana ficou ferido, no início da manhã deste sábado, na tentativa de assalto a um posto de combustíveis na Avenida Icaraí, zona sul de Porto Alegre. Levado para o Hospital de Pronto Socorro, o policial Celso Paulo Batista, 43 anos, do 1º Batalhão de Polícia Militar, baleado no rosto e no abdômen, permanecia em estado regular até as 10h de sábado.

Abordo de uma motocicleta, dois assaltantes anunciaram o assalto ao estacionar no posto de combustíveis BR, no número 910 da Icaraí, às 5h40min. Enquanto um deles levava R$ 200 em dinheiro de um frentista, o policial, que estava no estabelecimento no momento do ataque, começou a lutar com o outro criminoso.

– Um dos assaltantes, que pegou o dinheiro, foi para cima do policial, que lutava com o comparsa dele. Foi neste momento que o policial conseguiu atingir o cara, mas também levou um tiro – conta um frentista que pede para não ser identificado.

Comparsa fugiu mas foi recapturado logo depois

Atingido por Batista, o assaltante, cuja identidade permanecia desconhecida até o final da manhã de sábado, morreu no local. Conforme o capitão José Luiz Krauze, supervisor do Centro Integrado de Operações da Segurança Pública, Guilherme Nascimento Brion Derlin, 23 anos, montou na moto utilizada no crime e fugiu em direção à Vila Cruzeiro. Ele foi recapturado instantes depois, num dos becos da Rua Ursa Maior.

A violência chocou funcionários.

– Não tem explicação ver uma pessoa morrer para roubar – lamentava uma jovem, que também pede para ter o nome preservado.