ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

INSATISFAÇÃO E DISCRIMINAÇÃO SALARIAL

PÁGINA 10 | ROSANE DE OLIVEIRA, colaborou Paulo Germano - ZERO HORA 11/10/2011

Chance de mudar a vida -

Pelo nível de insatisfação dos delegados gaúchos com o salário, não será surpresa se dezenas deles se inscreverem para o concurso de procurador do Estado.

São nove disputadíssimas vagas, com salário inicial de R$ 16.119,10, mais do que o dobro do salário de um delegado.

O presidente da Associação dos delegados de Polícia, Wilson Müller, diz que tem sido comum a participação de delegados gaúchos em concursos para diferentes cargos das carreiras jurídicas, em outros Estados.

As inscrições para o concurso da PGE serão feitas até 3 de novembro, exclusivamente pela internet.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - E depois exigem que a polícia restabeleça a paz social em condições isoladas, mal paga e sucateada. Não são só os delegados que irão fazer este concurso, mas há Oficiais de nível superior se preparando para deixar a corporação, especialmente os abandonados Capitães.