ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sábado, 4 de junho de 2011

SALÁRIOS - COM BOMBAS PM INVADE QUARTEL OCUPADO POR BOMBEIROS DO RJ

Com bombas, Polícia Militar invade quartel ocupado por bombeiros no RJ - CORREIO BRAZILIENSE, 04/06/2011

A Polícia Militar e policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) invadiram neste sábado (4/6) o Quartel Central do Corpo de Bombeiros, no centro do Rio de Janeiro. Cerca de 2 mil bombeiros ocuparam o local ontem à noite durante um protesto por melhores salários. Eles alegam que tem o pior salário da categoria do país, R$ 950, e que há dois meses tentam negociar com o governo do Rio, mas não obtêm resposta. Os bombeiros pedem um piso salarial de R$ 2 mil e vale-transporte.

Por volta de 6h10 desta manhã, os policiais usaram bombas de efeito moral e de gás lacrimogênio. Há informações de que crianças sofreram intoxicação e adultos tiveram ferimentos na cabeça. Mulheres e crianças também participam das manifestações, que começaram às 19h30 desta sexta, após uma passeata que teve início em frente à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro e seguiu até o quartel.

Neste momento, há pelo menos 600 bombeiros presos no Batalhão de Choque da PM.O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, deve conceder uma entrevista coletiva em instantes.