ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 21 de junho de 2011

RECURSO OCIOSO POR FALTA DE PROFISSIONAL

RECURSOS OCIOSO - INFORME ESPECIAL | TULIO MILMAN, ZERO HORA 21/06/2011

O detector de mentiras que estava na Secretaria de Segurança do Estado foi cedido à Polícia Civil.

Se tivesse sido usado na ocorrência que terminou com duas mortes em Guaíba (página 38), seria possível obter indicativos sobre as intenções do homem que manteve a ex-mulher refém antes de assassiná-la.

Um dos motivos para o não aproveitamento da tecnologia é a falta de um operador. O profissional treinado para a tarefa foi transferido para outro setor.

De acordo com especialistas, o software teria dado pistas consistentes sobre a real tendência de rendição de Cleomar da Silva.

Foram mais de 10 ligações telefônicas entre a Brigada Militar e o bandido.