ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

O MUNDO É REDONDO

Novas estratégias da polícia partem da descoberta de delitos bem antigos. WANDERLEY SOARES, REDE PAMPA, O SUL, Porto Alegre, 09 de Junho de 2011.

No final dos anos 1950, os delitos de furtos e roubos eram os que recebiam maior atenção da polícia. O tráfico de drogas, por absoluta desinformação, era colocado num plano muitas vezes inferior nos planos dos investigadores.

Pois foi nesse período que, em diferentes oportunidades entrevistei um dos principais delegados da Polícia Civil da época que defendia o cerco aos receptadores como fundamental para controlar a ação de bandidos especializados em furtos e roubos de carros e joias, principalmente.

Agora, passados mais de 50 anos, leio que a polícia está preocupada com os receptadores e até montou um esquema especial para que esses profissionais do crime tenham contidas suas atividades como incentivadores maiores dos roubos e furtos de carros.

Diante disso, aqui da minha torre, sinto que estamos diante de mais uma prova de que o mundo é redondo.

Presídios

A Polícia Civil prendeu, ontem, 14 pessoas em operação de combate ao tráfico de drogas em presídios. A ação foi desencadeada em Soledade, Passo Fundo e Santa Cruz do Sul. Dois irmãos comandavam o esquema por celular de dentro do Presídio Estadual de Soledade. Na cela, onde estão presos, foram apreendidos mil e cem reais em dinheiro, drogas, celulares, cartões de banco e uma lista com os nomes das pessoas com divida com a quadrilha. Entre os presos estão quatro mulheres.

Carros

Uma quadrilha presa ontem roubava um carro por dia em bairros da Zona Norte de Porto Alegre. A Polícia Civil, em ação coordenada pela delegada Vivian do Nascimento, capturou o grupo formado por assaltantes, receptadores e proprietários de desmanches. A preferência era por veículos populares e novos. Os criminosos ficavam com os pertences das vitimas e encaminhavam os carros para desmanches em Alvorada e Canoas. Os automóveis eram repassados aos desmanches por valores que variavam de R$ 600 a R$ 1,2 mil.

Assaltos

em Capão Capão da Canoa teve três assaltos em sequência na noite de terça-feira. O primeiro ataque foi contra uma loja na avenida Paraguaçu. Dois homens armados chegaram de moto e renderam funcionários. Meia hora depois, houve ataque semelhante a um posto de gasolina no Centro de Capão Novo. Mais tarde dois homens foram abordados por ladrões desarmados que levaram dinheiro e celulares.