ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

GOVERNO DESVIA POLICIAIS DAS RUAS

FORA DAS RUAS. Efetivo da Casa Militar aumenta 24% sob Tarso. Piratini diz que ampliação de PMs cedidos servirá para formar equipe de atendimento a emergências - ADRIANA IRION, ZERO HORA 13/06/2011

Dos 25 órgãos que contam com serviços de policiais militares cedidos, a Casa Militar do Palácio Piratini é o que concentra o maior efetivo: 159. Isso representa 50% do total de PMs cedidos, que é de 318. Em seis meses de governo Tarso Genro, o órgão recebeu, segundo a Brigada Militar, 31 policiais a mais do que tinha no último dia da gestão de Yeda Crusius, um aumento de 24%.

A Casa Militar é responsável pela segurança do governador, do vice e das instalações do governo. Foco de suspeitas de irregularidades que motivaram a rediscussão de suas finalidades e do seu tamanho em 2010, o órgão está ganhando fôlego sob o comando de Tarso. A explicação para o aumento do efetivo é de que o governo quer ter no local um grupo preparado para “pronto-emprego em situações de emergência social”.

São 40 PMs que estão sendo treinados para atuar em catástrofes naturais ou em ações de segurança. Será uma força especializada a ser utilizada em episódios como o de Igrejinha, em que a chuva do feriado de Páscoa causou desmoronamentos e mortes.

Embora os policiais já estejam deslocados da BM, as novas atribuições do órgão ainda não estão formalizadas. Segundo o Piratini, um decreto está sendo elaborado para análise de Tarso. Conforme o chefe de gabinete da Casa Militar, coronel Rodolfo Pacheco, o efetivo já está sendo qualificado para a nova missão. Pacheco explicou que a Casa Militar também faz planejamentos e presta assessoria militar a Tarso, ou seja, produz informações relevantes para atividades e ações do governo.

Órgão faz monitoramento dos movimentos sociais

Fazem parte do dia a dia dessas atividades o monitoramento de movimentos sociais e levantamentos em locais em que o governador vai estar a fim de verificar se há, por exemplo, riscos de o chefe do Executivo enfrentar manifestações. Para cada viagem de Tarso ou do vice Beto Grill é produzido um livreto que contém desde as condições meteorológicas e os trajetos possíveis para cada local que a autoridade vai passar (com previsão de tempo para cada percurso) até contatos de hospitais próximos e de autoridades.

CASA MILITAR - ocupa uma lateral do Piratini, o palácio do Governo do RS, é responsável pela segurança do Governador, do vice e das instalações do governo - possui desde maio de 2011, 159 policiais militares cedidos. Em dezembro de 2010 eram 128 e em maio de 2007, 90.

NOS PRESÍDIOS - Em maio de 2007 eram 549. Agora são 616.

EM OUTROS ÓRGÃOS - Em maio de 2007 eram 356. Agora são 318.

TOTAL DE POLICIAIS FORA DA CORPORAÇÃO - Em maio de 2007 eram 989. Agora são 962.