ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

HERÓI - POLICIAL RODOVIÁRIO É EXECUTADO FRIAMENTE POR BANDIDOS


Retrato falado de suspeitos da morte da policial rodoviário federal é divulgado. Crime aconteceu por volta das 9h45min desta sexta-feira depois que agente abordou carro circulando pela marginal da Via Expressa - DIÁRIO CATARINENSE ONLINE, 09/12/2011

Em menos de quatro horas depois do crime, a Polícia Civil divulgou o retrato falado de dois homens que participaram da morte de um policial rodoviário federal, na manhã desta sexta-feira, em Florianópolis. Ele morreu baleado na manhã desta sexta-feira após uma perseguição policial no bairro Coqueiros.

A morte aconteceu depois que os ocupantes de um Palio preto, com placas de São Paulo, foram abordados pelo policial enquanto trafegava pela marginal da Via Expressa.

Toda a ação foi registrada por uma câmera de segurança instalada em uma casa na Rua Desembargador Tavares da Cunha Mello, por volta das 9h45min.

Câmera registra o assassinato de policial no bairro Coqueiros, em Florianópolis. Leonardo Valgas Santos, de 36 anos, morreu baleado por bandidos nesta manhã. Pedro Rockenbach - DIÁRIO CATARINENSE ONLINE, 09/10/2011

A câmera de segurança de uma casa na Rua Desembargador Tavares da Cunha Mello, no bairro Coqueiros, região continental de Florianópolis, gravou a morte do agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF), na manhã desta sexta-feira.

Às 9h45min, bem em frente à residência, os bandidos reduziram a velocidade do Fiat Palio preto e colocaram as mãos para fora, sinalizando que iriam se entregar. Quando a moto parou, o motorista do carro engatou a ré e arremessou o veículo contra a moto.

O policial Leonardo Valgas Santos, de 36 anos, se desequilibrou e, antes de conseguir se recompor, os homens efetuaram pelo menos sete disparos. Um acertou o policial, três atingiram a parede e os outros ficaram no colete à prova de balas.

Segundo pessoas que testemunharam o crime, o agente da PRF se agachou ao perceber que os bandidos estavam atirando. Após a fuga dos criminosos, se levantou, mas segundos depois caiu desacordado.

Os atiradores abandonaram o Palio a cerca de 100 metros do local dos disparos. Pararam a motorista de um Renault Scenic, apontaram a arma para a cabeça da mulher e mandaram ela descer do veículo. Seguiram em direção ao bairro Abraão, onde abandonaram o Renault, cerca de um quilômetro depois. Os criminosos teriam corrido em direção a um matagal. A polícia faz buscas na região.