ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

HERÓI - MAJOR MORRE AO SE PRONTIFICAR EM AJUDAR A NEGOCIAÇÃO EM ASSALTO COM REFÉM

Morrem policial e suspeito baleados em tiroteio na Zona Sul de SP. Troca de tiros ocorreu durante rendição de homem após tentativa de roubo. PM estava sem o colete à prova de balas quando foi alvejado, diz coronel. Do G1 SP - 08/12/2011 03h30

O homem que disparou contra os policiais já teria chegado morto ao Hospital do M'Boi Mirim, na mesma região, para onde os baleados foram encaminhados. O policial militar morreu quando era levado para a sala de cirurgia. Ele foi atingido no abdome. O estado de saúde de um terceiro ferido, um soldado da PM ferido no ombro esquerdo, é estável, de acordo com a PM.

A coronel da PM Maria Aparecida Carvalho Yamamoto confirmou que o policial que morreu estava sem o colete à prova de balas no momento que negociava a rendição com o suspeito. Segundo ela, o colete foi deixado no carro da equipe. De acordo com a coronel, pelo menos oito pessoas foram mantidas reféns no interior da loja: quatro homens e quatro mulheres. Todos os reféns foram liberados sem ferimentos, segundo a PM.

O tenente-coronel Fernando Demétrio Oliveira, comandante do 1º Batalhão da PM, responsável pela área, não soube dizer se os dois policiais estavam com o colete. “Tudo o que for pertinente a essa ocorrência será objeto de apuração tanto da Polícia Civil quanto da PM”, disse. Ele afirmou que a corporação dará todo o apoio para a família do policial que morreu na ação.

Por volta das 22h45, ainda havia sete carros e sete motos da PM preservando o local da ocorrência.

A polícia informou que três criminosos invadiram a loja no início da noite. Dois deles conseguiram fugir e o terceiro permaneceu no local com os reféns. Os policiais cercaram a loja, que fica na Estrada do M’Boi Mirim.

O helicóptero Águia e o Grupo de Ações Táticas Especiais, da PM, também foram acionados para ajudar no cerco. O tiroteio começou quando um dos suspeitos negociava a liberação dos reféns e atirou contra os policiais, que revidaram.

O revólver usado pelo assaltante era um calibre 38 cuja numeração foi raspada. Segundo a PM, a arma foi disparada três vezes. O caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoas (DHPP).

De folga

O policial morto é Sandro Moretti Silva Andrade,de 46 anos. Ele chegou há pouco tempo de Novo Horizonte, a 429 km de São Paulo, e ainda morava no Batalhão. Segundo a coronel Maria Aparecida Carvalho Yamamoto, Sandro estava de folga, mas se prontificou a ajudar na operação. Ele tinha dois filhos: uma menina, de seis meses, e um rapaz, de 18 anos.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Segundo informações dada por Frank Vfc pelo face, "o policial morto era Major da PM e estava de folga em quartel. Voluntariou-se a auxiliar na ocorrência e restou baleado."