ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 10 de abril de 2012

PMS EM GREVE DEBOCHAM DA INSEGURANÇA PÚBLICA

Deboche de policiais sobre insegurança e crimes continua na internet Mesmo com investigações em curso e com o afastamento de PMs, usuários insistem na Operação Tartaruga. No fim de semana, eles comemoraram a explosão de crimes no Distrito Federal. Braitner Moreira - CORREIO BRAZILIENSE, 10/04/2012 08:56


Nem mesmo a ameaça de punição e a repreensão pública feita pelo corregedor-geral da Polícia Militar, coronel Francisco Carlos da Silva Niño, fizeram com que perfis na internet deixassem de postar comentários de mau gosto em comunidades da PM na rede social. Após a notícia do afastamento de três oficiais e a abertura de investigação contra praças da corporação, algumas postagens voltaram a causar polêmica. “Em solidariedade aos companheiros, hoje vou tartarugar em dobro”, escreveu um usuário na tarde de ontem, em referência à Operação Tartaruga, que hoje completa 56 dias. O corregedor revelou ao Correio que oito procedimentos investigativos estão abertos contra servidores que incentivaram o atraso no atendimento de ocorrências. Parte dos responsáveis já foi identificada e deve ser punida.

Na edição de domingo, o Correio publicou, com exclusividade, diálogos postados em uma comunidade de acesso restrito a PMs. Algumas mensagens destacaram o desprezo de alguns usuários da rede pela sociedade. “Tirando a família papa myke (PM), eu quero é que o paisano (civil) se exploda”, postou um deles. Outro, mais incisivo, agradeceu o responsável por assassinar o analista do Banco Central Saulo Jansen, 31 anos, na última sexta-feira, na 413 Norte. “Venho através desta comunidade agradecer pela ação do bandido, que trouxe à tona nosso movimento”, afirmou.

População está indignada com a lentidão da PM para atender ocorrências

Andando normalmente, uma pessoa gasta menos de 10 minutos para trilhar 500 metros. Uma viatura da Polícia Militar chamada para atender uma ocorrência na comercial da 108 Sul, no fim do mês passado, precisou de mais de meia hora para fazer o mesmo trajeto. Enquanto o carro não chegava, dois funcionários de um pet shop da 108 Sul precisaram agir por conta própria para que uma bicicleta do estabelecimento não acabasse levada por dois bandidos em plena luz do dia. Quando uma viatura passou pelo local, um dos responsáveis pelo furto já estava imobilizado. O outro conseguiu fugir.

João de Deus, 31 anos, funcionário do pet shop, passou quase 20 minutos segurando o rapaz que teria levado a bicicleta e só conseguiu apoio policial depois que uma viatura da PM passou pela rua. “Eles vinham devagar e gritamos para que parassem”, lembrou. “Os policiais que chamamos só chegaram mais de 30 minutos depois que ligamos para o 190”, desabafou.


Agnelo: "Tomaremos providências para melhorar o policiamento". Veja o que Agnelo Queiroz falou sobre a Operação Tartaruga da PM - 09 abril 2012 17:45

"Nós não podemos de forma nenhuma concordar com o que possa botar em risco a vida das pessoas. A vida é o bem mais importante que nós temos. Então vamos tomar algumas medidas muito importantes agora.

Não vamos aceitar nenhuma medida que põe em risco a população. Ao detectar isso, seremos muito rigorosos, faremos inquérito policial e tomaremos todas as providencias para termos um melhor funcionamento do nosso policiamento.

Nossa polícia é uma boa polícia, é bem preparada é bem paga e uma minoria não pode responder ou tentar desmoralizar uma instituição como essa que é muito querida e respeitada pela população do DF, e essas atitudes de provocação só pioram, porque ninguém vai atender quem põe em risco a vida da população em vez de fazer um processo construtivo conosco. Mas vocês vão conhecer todas as medidas agora a tarde."