ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

ACIDENTE VITIMA DOIS REPÓRTERES QUE ACOMPANHAVAM OPERAÇÃO POLICIAL

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Estamos de luto. O RS está de luto. Este dois, em especial o Paulão, estavam sempre acompanhando o dia a dia dos policiais do RS contra o crime. Eles mostravam à sociedade e davam eco ao anseios, dificuldades e esforços, muito vezes desmoralizados pela leis benevolentes, dos policiais militares e civis gaúchos. Perdemos estes dois parceiros no campo de luta, num acidente estúpido. A eles, familiares e amigos os nossos pêsames e muito obrigado por tudo o que fizeram. Perdemos dois titãs.Que Deus os tenha e abrigue com muito carinho. Eles merecem pelo que fizeram em vida.

Trágedia na serra gaúcha. Repórter e cinegrafista morrem em acidente grave em Farroupilha. Vítimas faziam parte de uma equipe de jornalistas que iria acompanhar uma operação policial - Agência RBS, zero hora online, 27/04/2012 | 10h08.

Um repórter e um cinegrafista morreram em um acidente na ERS-122, em Farroupilha, na Serra, por volta das 6h de hoje. O acidente, que envolveu três carros com jornalistas que iriam cobrir uma operação do Deic, três viaturas policiais e um caminhão carregado com laranjas, deixou ainda pessoas presas nas ferragens. Pelo menos sete ficaram feridos, mas sem gravidade.

Segundo o Comando Rodoviário da Brigada Militar de Farroupilha, os dois mortos no acidente eram profissionais da Rede Bandeirantes de Televisão e estavam no carro da emissora. Eles foram identificados como o repórter Enildo Paulo Pereira, o "Paulão", e o cinegrafista Ezequiel Barbosa.

Estão entre os feridos o fotógrafo Marcelo Oliveira, o repórter Eduardo Torres e o motorista Anderson Samuel Belmonte Alves, todos do jornal Diário Gaúcho, além do repórter Cid Martins e do motorista Lúcio Pereira de Moraes, ambos da Rádio Gaúcha. Os feridos foram atendidos em hospitais de Farroupilha e Bom Princípio.

A colisão provocou interrupção total nos dois sentidos na altura do km 47 da rodovia conhecido como "curva da morte". Por volta das 10h, ainda não havia previsão para liberar o trecho, que está com o controlador de velocidade desativado. Equipes foram até o local para retirar óleo e laranjas que ficaram espalhadas na pista. A perícia também foi chamada. Os corpos já foram removidos.

Conforme a polícia, o caminhão teria invadido a pista contrária em um trecho onde é proibido ultrapassar e atingido os outros veículos. O motorista do caminhão, João José de Araújo, foi submetido ao teste do bafômetro, que não apontou consumo de bebida alcoólica. Ferido, ele foi levado para um hospital e, depois, seria encaminhado para prestar esclarecimentos à polícia. Ele disse que os freios do veículo falharam.

Foram encontrados dois comprimidos dentro do caminhão, que havia saído de Vacaria por volta das 2h. O material será analisado. A polícia suspeita que seja uma substância utilizada para evitar o cansaço.
Dedicação à TV. Repórter e cinegrafista trabalhavam no Grupo Bandeirantes desde setembro de 2011, Jornalista policial há pelo menos 17 anos, Paulão era repórter especial do programa Brasil Urgente RS - Pedro Moreira, zero hora online, 27/04/2012 | 10h16

Repórter do Grupo Bandeirantes desde setembro de 2011, Enildo Paulo Pereira, o "Paulão", foi um dos dois mortos em um acidente na rodovia Bom Princípio-Farroupilha (ERS-122), em Farroupilha, na Serra gaúcha, na manhã desta sexta-feira.

Porto-alegrense de 59 anos e jornalista policial de TV desde 1995, Paulão participava do programa Brasil Urgente RS, que vai ao ar nos finais de tarde de segunda a sexta-feira. Também morreu na colisão com um caminhão o cinegrafista da Band Ezequiel Barbosa, 27 anos, que trabalhava com Paulão há alguns anos e também estava na Band desde setembro do ano passado.

Em entrevista ao projeto Vozes do Rádio, do curso de jornalismo da PUCRS, Paulão contou que começou no jornalismo no esporte da Rádio Tramandaí, no início da década de 1980. Formado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), o jornalista também trabalhou nas rádio Cultura, de Rio Grande, e Horizonte, de Capão da Canoa.

Na TV, Paulão se tornou conhecido pelo programa Polícia em Ação, que primeiro foi veiculado em canal da TV fechada e depois na TV Urbana. Na atração, o jornalista fazia reportagens policiais sensacionalistas, acompanhava operações policiais e entrevistava criminosos. Em seus programas, tornou conhecidos bordões como "mentiu pro tio, contou pro vô".

Conhecido como uma pessoa extrovertida e alegre, Paulão era muito apegado à família e aos filhos. Conforme o irmão, Valdir Tibiriça Pereira da Silva, o jornalista mantinha um sítio em Itapuã, para onde costumava ir aos finais de semana.

_ Quando não estava trabalhando, estava em casa _ resumiu Valdir.

Paulão deixa a esposa, Catarina de Fátima Oliveira, e três filhos: Paulo Eduardo, Paula e Leonardo. A família ainda não definiu o local do velório e do sepultamento.