ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

DAS FESTAS E DO PANDEIRISTA

WANDERLEY SOARES, REDE PAMPA, O SUL
Porto Alegre, Quarta-feira, 25 de Abril de 2012.


Para que não haja confusão no salão é preciso definir, por lei, o que é um cidadão ilustre.

Depois da polêmica festa outonal em homenagem ao aniversário do chefe da Polícia Civil do RS, delegado Ranolfo Vieira Júnior, e diante do nível das complexas propostas que envolvem a segurança pública, surgem diferentes escolas de pensadores. Para todas, aqui em minha torre, dou igual atenção como mero observador e humilde marquês. Agora, aponto ter recebido mensagens de analistas em defesa de que os eventos que tiverem convidados ilustres sempre devem ser contemplados com os aparelhos de segurança do Estado. Isto significa que ao cidadão comum cumpre pagar pela segurança especial para cidadãos ilustres. Mas, afinal, o que é um cidadão ilustre e onde está escrito tal critério de tratamento? Tirante os titulares dos três poderes da República, dos Estados e dos municípios, quais são os demais cidadãos ilustres que em suas festas são merecedores de um mimo especial e gracioso das forças da segurança? Nesse rol que não está escrito eu poderia, por exemplo, colocar o presidente do amado Fortes e Livres do glorioso município de Muçum ou o patrão do CTG da Bossoroca, cidadãos da maior importância. Enfim, é preciso que os legisladores definam o que é um cidadão ilustre. Enquanto não houver tal definição valerá tudo em qualquer festa, pois afinal de contas, para exemplificar, posso apresentar meu amigo Chimba, canhoto, pandeirista emérito e diretor de uma banda de samba puro que toca em diferentes clubes da Capital, especialmente nos de comunidades da negritude gaúcha, que é um cidadão ilustre e nunca vi um só profissional da segurança ser destacado, especialmente, para as suas apresentações. Apenas um sobrinho dele, que não sei se é inspetor da Polícia Civil ou sócio da Asssociação de Cabos e Soldados da Brigada, que aparece nos eventos fazendo um bico, com direito a uma cervejinha e a fazer um pé quando não há clima para nenhum tumulto. Enfim, para que não haja confusão no salão, repito, é preciso definir, por lei, o que é um cidadão ilustre. Chimba, pra mim, é ficha um.

Segurança carioquês

O festejado gaúcho José Mariano Beltrame, secretário da Segurança do Rio, decididamente acariocou de vez. Ele festeja o índice de 26 homicídios por cada 100 mil habitantes no Estado fluminense e credita isso não só à sua administração, mas também "graças a Deus". No seu discurso, desenvolvido em encontro ocorrido na Assembleia Legislativa gaúcha, segunda-feira última, Beltrame defendeu a gratificação para policiais segundo a produtividade de cada um - tal expediente, em minha torre, é interpretado como propina oficial para apadrinhados - e, mais do que isso, o acariocado gaúcho passa batido pela possibilidade de salários dignos para policiais ao defender a institucionalização do bico. A proposta de Beltrame é a de que os policiais trabalhem, por fora, nas suas horas de folga para, assim, bem abastecerem suas latinhas de mantimentos sem causar incômodos para as burras do governo. Este é o homem da segurança no Estado que será centro da Copa. O pronunciamento carioquês foi publicado com seriedade pela nossa mídia e com plena razão, não poderia ser diferente, pois Beltrame discorreu com máxima austeridade sobre tal estultícia.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Já manifestei anteriomente minha opinião sobre a palestra proferida pelo Delegado Beltrame na AL-RS. Agora vou ressaltar o post do Daniel Adriano no face de que o "Secretario Beltrami fez uma palestra profética" do "supra-sumo do óbvio", ao sugerir que é necessário "investir em efetivo, inteligência e prevenção". Neste post, foram colocados comentários, entre os quais citarei o meu comentário que faz uma pergunta: - "Por acaso perguntaram para ele se na PF eles incentivam o bico, a recompensa e a retirada da perícia da estrutura da polícia? e uma observação: - "A recompensa individual estimula concorrência dentro da equipe, do grupo e da unidade policial. E o bico prejudica a saúde, a folga, o lazer e a convivência familiar, além de causar danos nos reflexos, na perícia e nas decisões de inopino. A folga existe para recuperar mente e corpo de uma jornada estressante e perigosa."
Aponto como interessante e contundente o comentário do Presidente da ASOFBM, presente ao ato, dizendo que "minha posição representando a CNS- ASOF na AL, durante a exposição do Secretário Beltrame foi incisiva e frontalmente CONTRA o "bico" amenizador e/ou dissimulador da necessidade e compromisso de adequar os salários PPMM, bem como afirmativa daquele eminente e visível Sec de Seg do Rio, que disse : Dou ordem para e PM e virem-se...Redargui: Aqui deixo meu protesto quanto a sua postura.Se paga a missão aue sejam disponibilizados os meios. Acabemos, de uma vez por todas, com o MVP ( meio de viração própria) que deixa os governantes tranquilos como cozinheiro de hospício". E complementou "cheguei a "blaguear" na AL que os PM precisam da folga até para eventualmente "fazer sexo". Como seres humanos, a folga foi feita para descanso, convivência familiar , lazer, sono etc... e não para fugir da fome trabalhando a exaustão. Em última analise quem pagará o pato é a sociedade." Perfeito!

COMENTÁRIO DO CEL JOSÉ MACEDO

Bengochea. A coluna do Wanderley Soares no SUL de hoje está interessante. O enfoque que dá ao Secretário de Segurança do RJ considero muito boa. O mesmo veio aqui soltar "fogos de artificios" sobre o trabalho lá no Rio que não corresponde com a realidade e recomendar "bico aos políciais" e outros artificios salariais, ratifica a falência do Estado na Segurança Pública que ele deveria resolver junto ao governo. Mas não, prefere o simplismo de um argumento pífio quanto a sua suposta capacidade de gestor da Segurança Pública que é posta em dúvida. Dados de pesquisa governamentais não são confiáveis. As notícias dos jornais do RJ dizem outras coisas. Macedo

NOTA: matéria apontada pelo Cel José Macedo