ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

domingo, 29 de abril de 2012

PM INVADE HOSPITAL E MATA TRÊS SUPOSTOS ASSASSINOS DO IRMÃO

PM invade hospital e mata 3 em Aracaju - ZERO HORA, 29/04/2012

Um policial militar à paisana invadiu o Hospital de Urgência de Sergipe João Alves Filho (Huse), em Aracaju, e matou a tiros três suspeitos de assassinar seu irmão, que também era policial militar.

Os três estavam sendo atendidos no local, o maior hospital público de Sergipe.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Não se pode aceitar ações de justiceiros sob qualquer alegação, porém não podemos ficar cego para as causas de uma ação como esta. Já vinhamos alertanto que no Brasil há um estado de desânimo e descrédito para com a justiça diante da impunidade da bandidagem. Com isto, policiais despreparados e pessoas emocionalmente contaminadas pela vingança se descontrolam a partem para atos justiceiros. Além de ser crime, há o perigo do erro matando pessoas inocentes que nada têm a ver com o caso. Há um ditado que diz - "Onde não há justiça, aparecem os bandidos, rebeldes e justiceiros." É o caso. É lamentável, mas este tipo de crime está aumentando no Brasil. As pessoas não estão aguentando as penas risíveis (1/6), a liberdade fácil e as benevolências concedidas aos criminosos.