ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 8 de março de 2012

POLICIAIS DE SP TÊM DE "BATER PONTO" EM RONDA DE BANCOS

André Caramante, FOLHA.COM - 08/03/2012 - 06h59

A Polícia Militar paulista está patrulhando bancos privados no Estado, informa reportagem de André Caramante, publicada na Folha desta quinta-feira.

A ronda é feita por dois policiais, que têm de visitar por dia ao menos sete agências e coletar assinaturas e carimbos dos gerentes que comprovem o trabalho.

Para a PM e a federação dos bancos, não há conflito entre público e privado. "Há um interesse da sociedade na questão da segurança pública por conta dos crimes cometidos dentro e ao redor dos bancos, afirmou o comandante geral da PM, coronel Álvaro Batista Camilo.

Leia a reportagem completa na Folha desta quinta-feira que já está nas bancas.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - É o privado assumindo o serviço público. Poderia ser realizado com orientação e alerta aos policiais do posto de policiamento para os crimes cometidos na saída dos bancos, até porque o que ocorre lá dentro é atribuição privada dos seguranças bancários.