ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sábado, 10 de março de 2012

FIANÇA - POLICIAL E ADVOGADO ENVOLVIDOS EM SUPOSTO GOLPE

SOB SUSPEITA. Policial civil e advogado presos por suposto golpe - RENATO GAVA, ZERO HORA

Um policial civil e um advogado foram presos na tarde de ontem em São Leopoldo, no Vale do Sinos, sob suspeita de aplicarem um golpe em um motorista que teria sido flagrado embriagado. Segundo o coordenador da Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA) local, Marco Souza, ambos deverão responder inquérito por concussão, corrupção passiva e patrocínio infiel.

Segundo o coordenador da DPPA, que também é titular da 1ª Delegacia da Polícia Civil de São Leopoldo, a investigação começou na segunda quinzena de janeiro. Foi quando um homem de 23 anos foi preso pela Brigada Militar, em São Leopoldo, sob a alegação de embriaguez. O então delegado plantonista na DPPA (cujo nome não foi informado) deixou o motorista em liberdade, para, posteriormente, responder a processo.

– Naquele dia, houve uma pane no sistema de informática da polícia. O delegado agiu certo, não poderia prender o suspeito, e foi obrigado a soltá-lo – avalia Souza.

Segundo apurou a investigação, de posse desta informação, o agente Valdir Antônio Alves, 52 anos, teria entrado em contato com o advogado Gilberto Linck, 38 anos, contratado pelo próprio motorista para defendê-lo. Em vez de informar ao homem que ele estava livre, os dois teriam dito que havia uma fiança de R$ 900 a ser paga.

– O condutor não tinha dinheiro e chamou familiares, que juntaram o que tinham e pagaram o valor. Apuramos que o advogado ficou com R$ 300, e o agente embolsou R$ 600 – declarou o coordenador da DPPA.

Testemunha teria alertado delegado

O caso veio à tona porque uma testemunha avisou o delegado, que começou a investigar. Ele chamou a vítima do suposto golpe, que confirmou o ocorrido. Com base na informação, Souza pediu a prisão preventiva da dupla. Na tarde de ontem, ele foi atendido pela Justiça de São Leopoldo. Em 10 dias, o delegado deve concluir o inquérito e remetê-lo à Justiça. O caso ficará com Delegacia de Feitos Especiais.

Gilberto Linck foi encaminhado para a Penitenciária Estadual do Jacuí, em Charqueadas. O policial, que segundo o delegado tem mais de 30 anos de Polícia Civil, foi levado para a prisão do Grupamento de Operações Especiais, em Porto Alegre.

A reportagem tentou contato com representantes dos dois, mas não teve sucesso até o fechamento desta edição.