ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

TERRITÓRIO DA PAZ GAÚCHO - ASSOCIAÇÃO DOS CABOS E SOLDADOS LEVA DEMANDAS

ABAMF leva reclamações de brigadianos ao secretário de segurança pública. Valor das diárias, carga de trabalho e regulamento disciplinar são os focos das reivindicações - PORTAL ABAMF, 09/11/2011


O presidente da ABAMF, Leonel Lucas, e o diretor de assuntos políticos, Ricardo Agra, estiveram reunidos com o secretário de segurança pública do RS, Airton Michels, dia 8 de novembro. No encontro foi entregue ao secretário de segurança o ofício 113/Séc/2011, solicitando providências quanto a reclamações dos brigadianos que estão trabalhando nos “Territórios da Paz”, reajuste nos valores das diárias e também a formação de uma comissão para debater mudanças no regulamento disciplinar da BM.

A reivindicação levada pela ABAMF ligada aos “Territórios da Paz” diz respeito a carga horária imposta aos brigadianos que trabalham nestas áreas. Os militares estaduais estão numa escala de 12h de trabalho por 6h de descanso. A jornada estafante levará os brigadianos a crise física e psicológica, além de prejudicar os resultados do programa de segurança.

No caso das diárias, a entidade já havia mostrado preocupação com o baixo valor para as despesas com alimentação, deslocamento e estadia. Também a proximidade da Operação Golfinho faz com que a solução tenha que ser encontrada rapidamente. Por isso, a representação dos servidores de nível médio propôs o valor de R$ 100,00.

Com relação ao regulamento disciplinar, a ABAMF já havia manifestado, durante a discussão salarial com o governo, a vontade da categoria de substituir o regulamento por um código de ética. No ofício, a representação dos brigadianos solicita a instalação de comissão para tratar do assunto.

O secretário Airton Michels garantiu que encaminhará os assuntos e dará uma resposta à associação