ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

POLICIAIS TERIAM OBRIGADOS DETIDOS A SE BEIJAR

Policiais teriam obrigado presos a se beijar - BONDENEWS, 04/02/2011

A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco abriu sindicância ontem para apurar se houve participação de policiais na gravação e divulgação de um vídeo, postado no YouTube, onde dois presos são obrigados a se beijar na boca. As imagens foram postadas em julho, mas o caso só veio à tona agora, após a publicação do caso em um jornal local. Em uma das imagens aparece um homem vestindo a farda do Batalhão de Radiopatrulha e usando um capuz. Os presos são chamados de macacos e obrigados a dizer que se amam, enquanto os policiais dão risada e filmam as cenas. O vídeo teria sido feito em uma delegacia do Recife.

O secretário de Defesa Social, Wilson Damásio, prometeu investigação rigorosa. "Este caso será tratado como investigação criminal. Nosso pessoal vai apurar para que tudo isso seja identificado. O primeiro passo será a identificação dos presos e dos policiais. Então teremos os elementos para verificar o que aconteceu e responsabilizar os envolvidos", afirmou.

O presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Jayme Asfora, enviou ofício para a secretaria solicitando o afastamento imediato dos policiais envolvidos na agressão. O presidente da OAB de Pernambuco, Henrique Mariano, cobrou posição enérgica da Defesa Social. "É um caso público de abuso de autoridade que viola todos os princípios norteadores dos direitos humanos." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.