ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

PMS SÃO PRESOS POR SUSPEITA DE TRÁFICO

Quatro PMs são presos por suspeita de tráfico - 10/02/2011 às 23h43m; Extra - O GLOBO


RIO - Quatro policiais militares foram presos numa ação da Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos (Drae), nesta quinta-feira. Cléber Augusto Conceição, de 38 anos; Arésio Moreira Tailor, de 36 anos; Elias Cotta Régis de Farias, de 35 anos; e Macos André Leal de Nóbrega, de 35 anos, foram autuados por tráfico. A polícia suspeita que eles negociavam armas com traficantes.

Os quatro são lotados no Grupamento de Policiamento Transportado em Ônibus Urbanos (GPTOU), vinculado administrativamente ao 5 BPM (Praça Harmonia).

Junto com eles, foi preso Elias Néo da Costa, conhecido como Juca, de 30 anos. Elias era investigado há mais de um mês por tráfico de armas pela Drae. O criminoso trabalharia como intermediário entre fornecedores de armas e traficantes das favelas Barreira do Vasco, Jacarezinho, Mangueira, Parque Arará e Tuiti, comunidades vinculadas a uma mesma facção criminosa.

Na quinta-feira, Elias foi até a Barreira do Vasco e pegou uma mochila com R$ 20 mil. Em seguida, foi ao encontro dos PMs, que estavam num Voyage, na Rua São Januário, em São Cristóvão, num lava a jato.

Os agentes da delegacia especializada flagraram o momento em que os policiais recebiam o dinheiro de Elias Néo. Com os PMs, havia cerca de dois quilos de cocaína e quatro pistolas. Nenhum estava fardado. Os policiais se recusaram a depor e foram encaminhados para o Batalhão Especial Prisional (BEP).

Elias Néo já havia sido preso em 2007 por tráfico de drogas. Na ocasião, ele foi flagrado com pouco mais de um quilo de cocaína numa mochila, no Jardim Botânico.