ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sábado, 2 de novembro de 2013

DELEGADA COMPROU CARRO DE LUXO COM DINHEIRO DA PROPINA

PORTAL DO ANDRADE DETALIS, 30 de setembro 2013

por Jéssica Gonçalves




Investigações da Polícia Federal constataram que a delegada da Polícia Civil do Distrito Federal, Sandra Maria da Silveira, recebeu R$ 50 mil de propina de Fayed Antonie Traboulsi. Fayed é apontado como um dos chefes do grupo acusado de desviar milhões de fundos de pensão de servidores de prefeituras e governos. A investigação, chamada Operação Miquéias, envolve deputados goianos. De acordo com o relatório, a delegada comprou um carro de luxo com a propina.

Nas conversas interceptadas pela PF a delegada chamou o carro de ‘nova viatura’ quando conversava com Fayed. O chefe do grupo tinha reclamado porque Sandra não avisou se recebeu ou não o dinheiro. “Qual é a chance, Turco, de não ter entrado o dinheiro? Mas eu não te liguei ainda porque eu não tinha ido pegar o carro. E como eu acabei de pegar o carro, aí eu estou indo para a secretaria, e queria almoçar amanhã com você para você ver o meu carro lindo”, disse a delegada.

Segundo as investigações, Sandra teria atrapalhado uma investigação da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado do Distrito Federal. Essa ação previa a investigação de uma suposta lavagem de dinheiro de Fayed e o Esporte Clube Ceilândia.

A operação Miquéias prendeu 20 pessoas (17 em Brasília, duas no Rio de Janeiro e uma em Goiânia). Entre os presos está o policial aposentado Marcelo Toledo, também investigado no mensalão do DEM. A PF ainda tem 10 mandados de prisão, entre eles o economista Carlos Eduardo Carneiro Lemos, ex-gerente de Investimentos do Prece, fundo de previdência dos servidores da Companhia Estadual de Água e Esgoto (Cedae) do Rio de Janeiro.

A PF apontou indícios de fraudes em fundos de prefeituras de Manaus, Queimados (RJ), Ponta Porã (MS), Murtinho (MS), Formosa (GO), Caldas Novas (GO), Cristalina (GO), Águas Lindas (GO), Itaberaí (GO), Pires do Rio (GO), Montividiu (GO), Jaru (RO), Barreirinhas (MA), Bom Jesus da Selva (MA) e Santa Luzia (MA).

Em Goiás houve cumprimento de mandados de busca e apreensão em Àguas Lindas de Goiás, Formosa, Montividiu, Pires do Rio, Caldas Novas, Cristalina, Aparecida de Goiânia e Itaberaí.