ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

RESPOSTA PM FALHA E UNO É LEVADO DUAS VEZES

DUPLA OUSADIA. Uno é levado duas vezes por ladrões. Brigada Militar foi alertada do paradeiro do carro, mas os bandidos chegaram antes para reavê-lo, três horas depois do aviso

FRANCISCO AMORIM**Colaborou Rossana Silva

As 517 palavras desta reportagem relatam a história de um Uno levado duas vezes pelos mesmos ladrões em apenas 14 horas. Furtado pelos bandidos de uma rua do bairro Partenon, na Capital, na noite de 3 de agosto, sexta-feira, o veículo deixado em Viamão para despistar policiais foi resgatado pelos ladrões na manhã seguinte. Nesse interim, a Brigada Militar foi avisada da localização do veículo, mas nenhum PM se deslocou ao local a tempo de restituí-lo à dona.

Ao contar sua história a Zero Hora, a funcionária pública federal Ivana Viegas, 35 anos, parece ainda não acreditar no desfecho. Passava das 21h30min, quando seu Uno, em reforma – sem pintura e retocado com massa –, foi furtado na Rua Bento Amaral, instantes depois de seu marido estacioná-lo em frente à casa da mãe dele.

– Ele chegou a ouvir o barulho do arranque. Não posso crer que levaram o carro naquele estado – lembra ela.

Depois de uma madrugada tumultuada, o casal viajou cedo no sábado para São Paulo, acompanhado do irmão de Ivana, Pedro Viegas, devido a um compromisso familiar. Lá receberam, por volta das 8h30min, uma inesperada ligação de um homem indicando o paradeiro do veículo, com placas IBZ 8490.

Apenas com um dos vidros quebrados, o carro estava abandonado em uma via do bairro Santa Cecília, em Viamão.

– Ficamos contentes, afinal, o carro parecia bem. O homem que ligou nos encontrou graças ao extrato de uma conta de telefone que estava no banco. Parecia um final feliz – conta o irmão.

Depois de uma rápida busca no Google, Pedro ligou para o 18º Batalhão de Polícia Militar (18º BPM), de Viamão, informando o paradeiro do veículo. Ouviu de um PM a promessa de que uma viatura seria enviada para o local imediatamente.

– Não nos preocupamos mais. O caso estava entregue à polícia. Afinal, não poderíamos pedir para algum parente ir buscar, pois além de perigoso, o carro estava em ocorrência de furto. Imagina se é parado numa blitz? – comenta Ivana.


Brigada teria alegado falta de viatura

A promessa que restituíra o sorriso ao casal e motivara elogios à rápida resposta da Brigada acabou não sendo cumprida. Por volta das 11h30min, o mesmo homem que havia localizado o carro ligou uma segunda vez, agora para contar que dois bandidos em um Fusca haviam levado o Uno antes da chegada da BM.

– Não acreditei. Liguei de novo para a Brigada e ouvi que não haviam mandado ninguém por falta de viatura. Como pode isso? Tiveram três horas. Minha irmã foi duas vezes furtada – desabafa Pedro.

O Uno ano 94 é o segundo carro do casal, que tem filho de três anos. Atualmente, o veículo era usado para trabalho pelo marido. Sem ele, a rotina do casal mudou radicalmente:

– Ficou difícil com filho pequeno e os dois trabalhando longe. E pensar que podíamos estar com o carro de novo, bastava a Brigada ter ido buscar. Não sei o que parece mais irreal: bandidos levando um carro que estava sendo reformado ou a polícia não resgatá-lo mesmo tendo sua localização.

Por enquanto, Ivana ficará sem uma resposta.

 
 
Contraponto
O que diz o comandante do 18º BPM, tenente-coronel José Luis Ribeiro Paz
No sábado, não havia problema de falta de viatura. Vou instaurar um procedimento administrativo, uma sindicância, para apurar se houve ou não demora no atendimento.